[ editar artigo]

Insegurança e processo seletivo: o quanto ela te afeta?

Insegurança e processo seletivo: o quanto ela te afeta?

Quem sofre com insegurança durante o processo seletivo põe o dedo aqui (ou nos comentários)!


Meu currículo não é tão bom quanto o dos outros candidatos. Sou péssimo(a) em testes online. Nunca vou conseguir uma vaga em uma grande empresa. Esses são alguns dos pensamentos que passam pela cabeça da pessoa insegura antes e/ou durante os processos seletivos.

Você já teve algum pensamento parecido?

Insegurança (s.f)
Condição, particularidade ou característica do que é inseguro. Sem segurança; em que há perigo; periculosidade.

Lembrando que existe grande diferença entre a insegurança que você possui em si mesmo e a insegurança que você tem em relação à uma habilidade. 

Habilidade é algo completamente treinável. Quanto mais você treina, melhor fica.

Agora, quando a insegurança é com relação a você mesmo(a), o buraco é bem mais embaixo.

A insegurança pode surgir em todas ou em etapas específicas do processo seletivo, seja na avaliação de currículos, na realização de testes online (eita, raciocínio lógico!), dinâmicas de grupo ou apresentações individuais, entrevistas com o RH e/ou com gestores da área de atuação.

Sentir-se inseguro por um momento pode ser até comum, mas permanecer inseguro, não.

Antes de qualquer coisa, você precisa entender de onde vem sua insegurança e em que nível ela é capaz de afetar o seu desempenho durante os processos seletivos.

Para isso, responda as perguntas abaixo:

  • Em qual etapa dos processos seletivos esses pensamentos costumam surgir?
  • Quais são exatamente os seus pensamentos?
  • Esses pensamentos te causam outros sentimentos além da insegurança?
  • A insegurança aumenta ou diminuí conforme você avança no processo seletivo?
  • Você já abandonou algum processo seletivo por se sentir inseguro(a)?
  • Você se sente inseguro(a) somente em processos seletivos ou em vários outros momentos?
  • Caso a insegurança te afete em outros momentos, quais são eles? Existem características semelhantes entre esses momentos e um processo seletivo?

Para que o nosso desenvolvimento profissional ocorra, é imprescindível colocarmos a insegurança de lado.

O que não é fácil, mas é possível.

Uma ótima forma de combater a insegurança é ter plena consciência de quem somos, dos nossos aprendizados ao longo da vida e da nossa história. Autoconhecimento é fundamental!

Além disso, busque treinar.

Treine as habilidades necessárias para desempenhar as atividades na sua área de atuação.

Treine como você irá se apresentar.

Treine as respostas para as perguntas mais comuns nos processos seletivos.

#dica: Para a terceira opção, você pode utilizar a metodologia STAR para a elaboração das suas respostas. Caso você queira entender melhor sobre como ela funciona, corre aqui!

Se a insegurança que você sentir for paralisadora, ou seja, te impedir de realizar algumas atividades ou até mesmo atrapalhe sua socialização, busque ajuda profissional.

Sembre bom lembrar que:
O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat, 24 horas todos os dias.
Número de telefone: 188 | Chat | Email


Outras postagens da autora:
Qual a importância do autoconhecimento?
Universitário com boa saúde mental: é possível ou é meme?

 

Comunidade do Estágio
Eduarda Cavalcante
Eduarda Cavalcante Seguir

Sou graduanda em psicologia e tenho três grandes paixões: as pessoas, a comunicação e a educação.

Ler conteúdo completo
Indicados para você