Atividades
  • Notificações
  • Tags
  • Favoritos
Nenhuma notificação

Quando o estágio não remunerado vale a pena e insights que você pode aprender com April Ludgate

Quando o estágio não remunerado vale a pena e insights que você pode aprender com April Ludgate
Bárbara Beatriz Camello
jul. 31 - 8 min de leitura
0 Curtidas
0 Comentários
0

Quando surge a primeira oportunidade de estágio, é quase automático o pensamento de que ela virá acompanhada de um salário no final do mês. Vamos ser sinceros, nenhum estag pensa que vai enriquecer do dia para a noite, mas eu posso te garantir que a maioria pensa, pelo menos, que vai conseguir sustentar as necessidades mais básicas que surgem ao longo do mês. Tudo isso faz sentido, até a página 2.

Como a gente conversou outro dia por aqui, existem dois tipos de estágio no mercado de trabalho brasileiro: o obrigatório e o não obrigatório. Dentre as inúmeras diferenças entre ambos, uma das que chama mais atenção diz respeito à remuneração. No primeiro, esta não é mandatória, uma vez que entende-se que o estudante está agarrando a vaga principalmente movido pela necessidade de completar uma disciplina obrigatória na universidade. Balde de água fria, né gente?

Como salário é (bem) bom e todo mundo gosta, a iminência de trabalhar de maneira gratuita deve então significar que a vaga não vale a pena? Mais vale fechar a porta para a pessoa que deseja te contratar e seguir na busca por outras chances de ingressar no mercado? A resposta é bem simples: não.

Apesar do valor financeiro ser de importância também para que haja a sensação de crescimento profissional, ele deve ser a questão menos relevante quando há a necessidade de escolha de uma vaga de estágio. Isso se dá pois, uma vez que a principal função de ser estag é estar presente em uma empresa apreendendo o máximo de conhecimento possível, o foco na hora de decidir para qual oportunidade se candidatar deve ser baseado nas possibilidades que determinada instituição possa te fornecer quando o assunto é conhecimento.

Nem sempre esse é o cenário mais favorável, mas eu vou te mostrar alguns pontos que podem te ajudar a mudar de ideia ou, ao menos, considerar a possibilidade de ingressar em uma vaga não remunerada.

 

Sabe aquela vaga dos sonhos que pede experiência? Então…

Aceitar uma vaga de estágio não remunerada significa ter mais uma experiência para acrescentar ao currículo, o que te garante mais credibilidade em meio a outros candidatos que sequer deram os primeiros passos no mercado. Hoje, ter esse diferencial pode parecer algo que dá para esperar, mas no dia que você precisar se candidatar para aquela vaga que é a sua cara e exige experiência, pode ter certeza de que o arrependimento por não ter aceitado trabalhar em um local não remunerado vai bater na porta. 🤓

 

O poder do hábito constrói

Quando chegamos em um estágio pela primeira vez costumamos ficar meio perdidos (inclusive, já dei algumas dicas pra quem precisa de ajuda nessa fase), o que é inevitável. Mas que tal aproveitar a sua oportunidade como estag não remunerado para explorar ao máximo esse momento e entender exatamente o que funciona ou não para você na organização profissional?

Deixa eu te contar uma coisa, se em estágios sem pagamento você já recebe muitas exigências, naqueles que você está recebendo para estar por ali a cobrança é ainda maior e, como consequência, há menos espaço para os erros. Portanto, ao aceitar uma vaga de estágio sem salário você poderá exercitar habilidades que deixarão que sua transição para outras vagas no futuro aconteça de forma mais simples.

 

Nunca é cedo demais para começar a fazer networking

Aceitar uma vaga não remunerada não significa que você vá perder todos os pontos positivos de um estágio, como por exemplo a chance de conhecer pessoas que serão diferenciais na sua carreira. Desde os seus chefes até outros estags que você esbarrar pelo caminho, todo mundo tem algo a ensinar a fim de enriquecer a sua experiência profissional.

É preciso ressaltar àqueles que ainda não entenderam a importância do networking ainda que o mercado de trabalho se move a partir da criação de conexões. Eu sou capaz, inclusive, de dizer que é literalmente impossível crescer em qualquer área profissional 100% sozinho. Você vai precisar de gente do seu lado e, quanto antes este time começar a ser montado, melhor!

Vou dar um exemplo bem claro da importância do networking na carreira. Há um tempo trabalhei com uma pessoa que, por apresentar algumas divergências em relação à gerência, foi mandada embora.🤯 Ela precisava bastante do emprego quando isso aconteceu e, em razão disso, ficou desolada ao descobrir que sairia logo no primeiro dia após o retorno de suas férias. Agora quer saber qual o curioso? Depois de muito choro e alguns momentos de desespero, na semana seguinte esse @ já estava novamente on no mercado. E tudo isso graças a quem? Te dou três chances para tentar adivinhar.

Se você chutou que a responsável por esse milagre foi uma das ex-chefes do indivíduo em questão, acertou na mosca. Isso mesmo, uma das pessoas que ele conheceu no antigo trabalho estava há mais de 15 anos no mercado, tinha muitos contatos e, por ter desenvolvido uma relação de coleguismo em relação a ele, decidiu ajudar. Quem hoje está em busca de uma oportunidade sabe o quanto esse menino deu sorte de construir uma conexão como essa com uma das ex-chefes para que, em 05 dias úteis, pudesse ter o famigerado fresh start. Por isso eu digo, nunca subestime o poder de um networking bem feito, ele pode te levar à lua se você souber como arquitetar 🚀

 

Se tudo der certo, pode vir aí a efetivação

É isso mesmo, não é porque o estágio não é remunerado que a efetivação não pode aparecer pelo caminho. Se comprometa com suas metas e tenha a certeza de que você está dando o seu máximo porque, desta forma, seus gestores irão perceber que você se destaca entre os demais e, assim, te oferecerão chances de evoluir na carreira.

Pode falar, ficou animado agora, né? 🤑

 

E onde a nossa querida (e um pouco ranzinza) personagem de Parks and Recreation entra no meio disso tudo?

Bem, a April é o exemplo vivo de que é possível crescer em um trabalho pelo qual você não dava nada. Ela começou no departamento de Parques e Recreação da cidade fictícia de Pawnee como uma simples estag e, mesmo sem querer, demonstrou que era capaz de gerir projetos com organização em meio às exigências de seus superiores.

Tudo bem que na maioria das vezes a April não dava 100% de si, mas, se assim ela conseguiu crescer e se desenvolver profissionalmente, imagina se a dedicação tivesse sido maior? Hoje ela estaria no mínimo sentada em algum escritório da Casa Branca, acredito eu 😝

O arco dessa personagem traz uma menina que ainda no início da faculdade começou um estágio, aos trancos e barrancos foi efetivada e, quando decidiu mudar de área, recebeu apoio de ninguém mais ninguém menos que sua chefe (novamente o poder do networking), que foi responsável pelo primeiro contato da ex-funcionária com a empresa que a contrataria no futuro.

Assim, de forma breve mas pontual April Ludgate mostra que, com persistência, é possível evolução e, depois que começarmos a crescer… Sinceramente, ninguém vai poder nos dizer quando parar. ⚡️


Denunciar publicação
0 Curtidas
0 Comentários
0
0 respostas

Indicados para você