Atividades
  • Notificações
  • Tags
  • Favoritos
Nenhuma notificação

Como vencer a lassidão da alma e a depressão intelectual?

Como vencer a lassidão da alma e a depressão intelectual?
Lucas Costa Souza
out. 1 - 6 min de leitura
4 Curtidas
3 Comentários
0

Vivemos bombardeados de ondas eletromagnéticas, eletrônicos e problemas pessoais. Como o estudante contemporâneo pode arranjar forças e energia para estudar? Como deter o cansaço e a lassidão da alma?


Estes problemas mencionados acima são extremamente recentes. É comum o estudante se encontrar assoberbado de problemas que limitam o seu aprendizado, que o cansa. Talvez a maior batalha que o estudante autodidata possui hoje é da sua luta diária que consiste em sua força de vontade vs. as circunstâncias que o cercam. Isto o debilita de tal modo que pode fazê-lo desistir de seu plano de estudos.

 

Para driblar estas situações é preciso elaborar algumas estratégias que o ajudará a vencer a lassidão da alma, e é sobre isto que vamos discutir hoje. Eu não posso prometer-lhe uma receita de bolo que funcionará 100% em sua vida, mas posso compartilhar algumas dicas que está funcionando comigo.

Vamos lá!

 

Tenha um livro de apoio

Este livro (ou estes livros) servirá de base para que você se apoie quando for acossado pela depressão intelectual. Este estado é caracterizado por uma preguiça profunda que inibe todas as suas forças de continuar no processo de aprendizagem. Você já leu algum livro que te encheu o espírito de vontade de voltar ao trabalho? Se sim, é este livro que deverá se apoiar! Se não, você pode consultar aqui uma lista com cinco livros que podem te auxiliar.

 

Tenha uma alimentação balanceada

O seu corpo é uma máquina e ele reage conforme o combustível que você usa. Se está se sentindo demasiado cansado ou desanimado, isto pode ter uma relação com o seu psicológico ou com aquilo que você anda ingerindo (ou ambos). Você pode consultar um profissional da área para saber o que é mais conveniente consumir para te auxiliar na sua jornada de estudos. Normalmente é indicado algumas vitaminas que potencializam o seu organismo, junto com a ingestão de proteínas e gorduras boas. Também ocorre indicação de suplementos. Ressalto, vale consultar-se com um especialista para identificar o que é mais adequado para você.

 

Pratique exercícios físicos

Diversos estudos apontam que a execução de exercícios físicos aumentam nossa proatividade. Não é atoa que algumas escolas de filosofia praticam também aulas de Educação Física. São inúmeros os benefícios que estas atividades podem nos fornecer, e elas já são recomendada por grandes escritores há um bom tempo, como A. D. Sertillanges. Ao combinar uma alimentação balanceada com exercícios físicos, você terá um grande ganho para espantar a lassidão.

 

Crie hábitos

O hábito só ocorre depois da prática incansável. Até o estudo tornar-se um hábito, pode decorrer vários dias e ser demasiado cansativo, mas não desista. Talvez você se lembre de quando era uma criança e de como era torturante a tarefa de ter que escovar os dentes todos os dias. Talvez você fosse até obrigado a a escová-los pelos seus responsáveis. Hoje (ao menos eu espero), este hábito está instaurado em você de tal maneira que quando não praticado após a refeição, lhe provoca um certo mal-estar, uma sensação de "há algo errado". Com os estudos, não é diferente, então, seja resiliente.

 

Age quod agis

Nunca se entregue pela metade a atividade dos estudos. Se você está sentindo muito sono e cansaço, mesmo com as práticas acima, durma. Descanse. Mas descanse mesmo, não se entregue pela metade e nem fique pensando nas tarefas que tem de ser realizadas. Descanse até você não querer mais ficar em repouso. De maneira semelhante, quando estiver estudando, estude com afinco, e se for acossado por pensamentos diferentes daquilo que está realizando, faça aquilo que veio em sua mente. Faça o que você está fazendo. Isto é realmente importante. Há uma tendência natural de culpabilidade enquanto você descansa, assim como há uma tendência de querer manter-se em repouso enquanto estuda. Não dissipe a sua energia e concentre ela em uma atividade. Perceba que há uma diferença entre as suas preocupações pessoais das quais você não exerce nenhum controle, das preocupações conscientes das quais você tenta na medida do possível controlar. Priorize as primeiras, sempre que possível.

 

Ore

Se você não tem o hábito de cultivar uma vida espiritual, deixo dois conselhos. O primeiro, é de que deveria ter; o segundo, é que se mesmo assim não tiver, troque a palavra por "oração" por "meditação" ou por algo que seja mais cabível à sua personalidade (mas tenha a ciência de que o efeito não surtirá igual, pois da mesma forma que se pode orar, pode-se meditar.). Sempre peça auxílio ao buscar uma atividade intelectual, para que não caia em ambiguidades ou para que não caia em desordem. Aos católicos, compartilho aqui a oração de São Tomás de Aquino que pode lhe trazer luz aos estudos e que vem me ajudando há um bocado de tempos.

 Infalível Criador, que, dos tesouros da Vossa sabedoria, tirastes as hierarquias dos anjos, colocando-as com ordem admirável no céu;

Vós, que distribuístes o universo com encantadora harmonia; Vós, que sois a verdadeira fonte da luz e o princípio supremo da sabedoria,

difundi sobre as trevas da minha mente o raio do esplendor, removendo as duplas trevas nas quais nasci: o pecado e a ignorância.

 Vós, que tornastes fecunda a língua das crianças, tornai erudita a minha língua e espalhai sobre os meus lábios a vossa bênção.

Concedei-me a agudeza de entender,
a capacidade de reter,
a sutileza de relevar,
a facilidade de aprender,
a graça abundante de falar e de escrever.

 Ensinai-me a começar, regei-me no continuar e no perseverar até o término

Vós, que sois verdadeiro Deus e verdadeiro homem,
que viveis e reinais pelos séculos dos séculos. Amém

 

E após esta maravilhosa citação, me despeço de vocês! :-)

#ColunistaOficialAU

#PodeVimOutubro


Denunciar publicação
4 Curtidas
3 Comentários
0
0 respostas

Indicados para você