[ editar artigo]

Zoey e sua fantástica playlist: empatia, sensibilidade, inclusão e muita música

Zoey e sua fantástica playlist: empatia, sensibilidade, inclusão e muita música

Quando comecei a assistir Zoey e sua fantástica playlist recentemente, confesso que não esperava muita coisa. Mesmo sendo uma representante dos millennials - que são nitidamente o público-alvo da série - e adorando música, comecei a assistir sem muita expectativa. No entanto, tive uma grata surpresa, ao me deparar com uma produção de sensibilidade ímpar, que soube equilibrar perfeitamente tons de drama e comédia, além de camadas mais do que necessárias de representatividade.

A série acompanha o dia a dia de Zoey Clarke, uma jovem e talentosa programadora, que após um estranho “acidente” envolvendo uma máquina de raio-x, passa a ouvir os sentimentos das pessoas ao seu redor em forma de números musicais

Ao mesmo tempo em que tenta lidar com seu novo dom, Zoey ainda precisa dar conta de seu frenético trabalho em uma startup (com direito a uma mentora pra lá de exigente), sua paixonite secreta por um colega e ainda, a doença degenerativa de seu pai.

                                  "você não acreditaria no dia que tive até agora."

 

MAS POR QUE É BOA?

Mesmo que você não seja fã de musicais, Zoey e sua fantástica playlist certamente vai te cativar. 

A começar pela escolha das músicas, passando pelas coreografias, até as interpretações dos atores, a produção é um show de assertividade, conseguindo nos trazer uma história humana e tocante, sem deixar de ser engraçada, nem nunca cair no blasé.

Desde a protagonista até o mais sutil coadjuvante, todos os personagens possuem camadas, o que só torna a série mais cativante, englobando questões como empatia, luto, amizade e as mais variadas formas de amor.

Ao se dar conta de sua nova habilidade, Zoey passa a ser mais empática, constrói novas relações, e mesmo que tropece algumas vezes tentando acertar, aprende a mais valiosa das lições: a de que gentileza gera gentileza.

O elenco inteiro é incrível, com destaque para as atuações de Jane Levy no papel principal, Peter Gallagher como o pai de Zoey, Mitch, e Alex Newell, brilhando na pele de Mo.

Seja pela história, pelo carisma do elenco, pelas cenas carregadas de emoção, pela inclusão e representatividade tão necessárias e bem-vindas, ou pelos números musicais, Zoey e sua fantástica playlist é um espetáculo em todos os sentidos, e com certeza merece ser vista por todxs. Primeira temporada disponível no Globoplay.

Vale (muito) a conferida!

Referências:

- Todos os GIFs utilizados nesse texto foram retirados do Pinterest.

Comunidade do Estágio
Mariana Fekete Oshima
Mariana Fekete Oshima Seguir

Futura publicitária, apreciadora de boas histórias e escritora de corpo e alma. Apaixonada por livros, e mais apaixonada ainda pela possibilidade de tocar pessoas com palavras.

Ler conteúdo completo
Indicados para você