Comunidade do Estágio
Comunidade do Estágio
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários

Falando em Soft Skills

Falando em Soft Skills
Flávia Rosado Lima
jan. 28 - 9 min de leitura
010

Como forma de disseminar conhecimento e também ter uma participação mais ativa na CE, resolvi trazer um resumo da última aula que tive em meu atual tecnólogo na XP Educação: um compilado de 14 habilidades com pessoas, ou people skills que devemos ter, feito e apresentado pela professora mestra Raquel Dell'Agli. O intuito deste compilado é não apenas nos auxiliar em nossa evolução pessoal como também, e decorrente dela, aprimorar nossas práticas profissionais.

Sem mais delongas, segue a lista:

1. Liderança empática: esta, além de trazer consigo intrínseca a capacidade de inspirar, entusiasmar e mobilizar os outros típica de um líder, afirma que um líder "amigo", que se engaja com seu time ALÉM da cobrança de indicadores, faz com que seu time tenha maior dedicação em suas atividades.

Trata-se da capacidade de engajar no outro o entusiasmo em fazer suas atividades. A preocupação com as pessoas traz mais resultados que a preocupação com os indicadores de resultado.


2. Motivação, perseverança e flexibilidade:  é a capacidade de acreditar em si mesmo(a),  de se automotivar, de ser resiliente perante adversidades e ter a flexibilidade de mudar conforme o contexto requeira, tão importante no contexto B.A.N.I atual. E para quem não sabe o que é B.A.N.I, recomendo esta leitura.

É basicamente o quanto a gente consegue manter nossa postura no pé de uma cachoeira bem forte, sendo nossa postura a produtividade e a cachoeira o mercado de trabalho. A trilha da Academia do Universitário fala bem disto. Vamos arrumar a mochila, meus colegas mochileiros!



3. Empreendedorismo: capacidade de compreender as demandas da realidade, identificar oportunidades e agir com proatividade e autonomia. O empreendedor é aquele que mobiliza as pessoas e os recursos de um modo mais produtivo do que seriam mobilizados sem a sua intervenção.

Para os amantes da sétima arte, daqui vocês podem tirar uma ideia do que é ser empreendedor. Minha indicação pessoal é 2, 7 e 10!

4. Conhecimento: ter esta habilidade indica uma capacidade de 'aprender a reaprender', o famoso autodidata. Ninguém sobrevive ao mercado de trabalho em plena Indústria 5.0 sem isto - e olha que os finlandeses já querem uma Revolução 6.0.
Quanto mais conhecimento, melhor você vai conseguir se comunicar e agir com assertividade, tornando-se um diferencial diante à automação.

5. Empatia e colaboração: é a habilidade de fazer-se respeitar e promover respeito aos outros. Basicamente, o quanto você consegue influenciar um grupo a ser cooperativo diante de um problema? O quanto você consegue usar sua capacidade para resolver conflitos?
Para ilustrar, eu gosto de pensar nesta soft skill como os Diplomatas dentro do espectro dos 16 tipos de personalidades.

6. Execução: sabe quando você inicia um projeto pessoal e não sabe como vai medir seu desempenho, não consegue priorizar suas tarefas ou tem dificuldade em cumprir seus prazos? Se sim, está te faltando esta habilidade. Para a pessoa que está play na execução, o PROCESSO é sua razão de inspiração, e ela vai querer marcar tudo que puder para conseguir acompanhar sua evolução.
Embora eu não consiga te ajudar com os indicadores - que são muito próprios ao seu projeto, aqui estão algumas ferramentas e metodologias que gosto de usar:  Trello e Notion, ferramentas que geralmente usam o famoso Kanban como método. Mas aí vai uma dica: para os mais bagunçados, sugiro o método Getting Things Done do  David Allen para se organizar e o Zen to Done para criar uma rotina diante de tantos afazeres.


7. Orientação para resultados com excelência: aqui é aquela velha sementinha que nossa mãe plantou na gente: porque ser mais um se você pode ser EXCELENTE? Não existe regra aqui, é você querendo realizar algo por e para você.

Não basta entregar o que lhe foi pedido; para se destacar, você tem que fazer e melhorar! Um dia um professor me disse que realizava o que era pedido na atividade da faculdade e depois fazia um "a mais". E é exatamente o a mais que nos evidencia na vida. Se não nutrir o sentimento de lifelong learning, nada feito.


8. Pensamento científico, crítico e criativo: o queridinho dos facinados pelo quociente de inteligência (QI).  É a capacidade de analisar contextos, criticar fatos e dados apresentados com objetividade e de identificar e solucionar problemas complexos de forma inovadora.

"Para examinar a verdade é necessário, pelo menos uma vez na vida, por todas as coisas em dúvida, tanto quanto se puder."
René Descartes Princípios de Filosofia (1644)

Esta habilidade é um comportamento, um mindset do porquê e de como fazer as coisas. Mais que isto, é preciso usar a cachola para fugir do lugar comum. E isto não quer dizer criar a roda toda hora. Quer dizer ser capaz de melhorar com ferramentas que existem, de (re)inventar para atender sua necessidade.

O exemplo prático mais bacana que acho para descrever o pensamento científico, crítico e criativo é a biomimética.


9. Responsabilidade e cidadania: é a capacidade de ter um olhar inclusivo, de agir em âmbitos pessoal e coletivo com autonomia e flexibilidade para com o outro e o Todo, com sustentabilidade e responsabilidade. É auxiliar pessoas em momentos difíceis, tomar decisões para garantir o bem estar da equipe no ambiente de trabalho conforme você puder.

Aqui, eu gosto de ressaltar que é preciso ter a consciência de que a gente é fruto da Natureza, não dono dela. Uma vez que nossa mentalidade adota isto como fato, o outro vira a gente em nossas ações diárias. 

10. Energia, paixão e otimismo: trata-se da capacidade de automotivação, de mobilizar seus esforços com disposição física e mental para agir, ter paixão e entusiasmo pelo que se faz, CONFIAR NO PROCESSO e ter convicção que o melhor vem aí. A professora citou algo essencial aqui: a gestão de energia em detrimento da gestão de tempo
O que te move é importante para a capacidade de execução. É preciso saber COMO, QUANDO e COM O QUE usar sua energia, e, principalmente, acreditar em você e que você é capaz de mudar algo. 

11. Autoconhecimento e autogestão: lembra quando o Gato disse para a Alice "se você não sabe para onde ir, qualquer caminho serve"? Trazendo a habilidade de cima à pauta, o quanto da sua energia vais gastar caminhando por onde te foi apontado e não por onde tu queres ir?
Bem, reflexões feitas, esta capacidade é tão importante quanto o impacto dela em sua vida. Conhecer-se é saber apreciar-se na diversidade humana. Você precisa saber para o que quer dizer sim para saber para o que dizer não, e isto é autopreservação. Vale para seu tempo consigo, seu tempo com o outro e seu tempo no trabalho. Deve-se tomar decisões para garantir qualidade de vida e p recisamos ser capazes de nos autorecarrermos.

Ao se conhecer, tem-se a oportunidade de melhor autogestão, fator chave para que consiga ser PROATIVO em vez de REATIVO aos acontecimentos da sua vida.


12. Consciência social: capacidade de compreender como o mundo e como as  situações sociais funcionam, suas complicações e as oportunidades de ação. Trata-se da Lógica do Coletivo. O texto é denso, mas vale a pena.
Acho que a reflexão é de que levar a opinião e o sentimento das outras pessoas em consideração nas interações e nas decisões é extremamente importante para a evolução social e econômica, e que estes atributos estão relacionados ao contexto pessoal e social de cada um. 

O que fazemos de bom para melhorar a realidade do outro, o que fazemos de bom para melhorar o amanhã?

13. Gestão de relacionamentos: é a capacidade de ser uma influência positiva às pessoas a partir do seu autoconhecimento, como ser um exemplo de amizade, ética, dedicação; está associada a como conseguimos facilitar interações fluentes de forma eficaz, e como gereciamos emoções pessoais e coletivas para atingir os melhores resultados possíveis.

Finalizadas as capacidades relativas a ela, trarei aqui um resumo das que compõe a Inteligência Emocional:

AUTOCONHECIMENTO: a capacidade de estar consciente de si e de suas emoções;

AUTOGESTÃO: a capacidade de gerir suas próprias emoções; 

CONSCIÊNCIA SOCIAL: a capacidade de estar consciente do seu entorno e das pessoas ao seu redor;

GESTÃO DE RELACIONAMENTOS: a capacidade de gerir seus relacionamentos com os outros.


14. Trabalho e projeto de vida: por fim, esta é a capacidade que indica seu propósito: é você entender o mundo do trabalho e fazer,  com criticidade, responsabilidade, liberdade e gestão de desejos e autorealizações, o projeto da sua vida pessoal e profissional. De forma alinhada à cidadania, e suas capacidades supracitadas, trata-se da habilidade de adaptar planos de vida a contextos pessoais para conquistar seus sonhos e realizações mais profundos.


É isto, pessoal. Espero ter conseguido repassar um pouco do conhecimento que adquiri nestas aulas de People Skills e agregar um pouco para suas jornadas.
Até mais!


Denunciar publicação
    010

    Indicados para você