Comunidade do Estágio
Comunidade do Estágio
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
VOLTAR

Como desenvolver hábitos

Como desenvolver hábitos
Matheus Osório
fev. 28 - 6 min de leitura
000

No dia a dia, todas as pessoas fazem pelo menos alguma coisa rotineiramente. Mesmo aqueles que dizem não possuir qualquer rotina, ou qualquer traço de rotina, têm algo em suas vidas que é feito diariamente. Tais coisas são o que chamamos de hábitos.

Os hábitos são, de forma sintética, tudo aquilo que é feito de modo rotineiro, seja por persistência na prática da ação ou por consistência consciente ou inconsciente na ação; não é à toa que hábito geralmente é identificado como sinônimo de costume. Além disso, há uma variedade de hábitos, que vão desde hobbies como a leitura, a prática de esportes, meditação e os exercícios físicos, até condutas cotidianas, como acordar cedo, fazer faxina, passear com o chachorro, estudar etc. Há, também, hábitos ruins, nomeadamente aqueles que possam ser classificados como vícios, ou que são capazes de prejudicar a saúde, o bem-estar ou até mesmo a produtividade e o sucesso de uma pessoa, como o alcoolismo, o vício em mídias sociais, a preguiça habitual etc.

Na maioria das vezes, os hábitos são formados naturalmente. Dito isso, há de se dizer que, mediante a realização inicialmente consciente de uma ação, e por meio de sua repetição, em um determinado período de tempo – que varia de ação para ação e de pessoa para pessoa – a aludida ação acaba por virar um ato inconsciente e rotineiro, e, consequente, ela se torna um hábito.

Muitas pessoas pensam em iniciar projetos ou começar a ler, praticar esportes e fazer exercícios físicos, por exemplo. Mas, para isso, elas devem, primeiro, cultivar o hábito dessas atividades, pois não se começa a ter uma rotina do dia para a noite. Somos todos seres humanos, e, portanto, somos falhos. Temos preguiça e outros fatores, naturais a nós, que podem se mostrar como obstáculos ao empreendimento costumeiro dessas atividades. Posto isso, os referidos obstáculos só desaparecerão de nossa frente se, antes de tudo, o hábito for construído.




Então, surge a pergunta: como podemos conscientemente criar um hábito para as nossas vidas?

A resposta simples seria desempenhar uma ação uma primeira vez, e conscientemente continuar a fazer isso todos os dias, até virar um hábito. Porém, como acabara de ser dito, há obstáculos naturais a isso, uma vez que não se estabece, do nada, por exemplo, o hábito de ler uma hora por dia. Para exemplificar o argumento, a maioria das pessoas que não tem o hábito de leitura tem muita dificuldade em ler textos por muito tempo. Assim, a mesma coisa acontece para aqueles que não tem o hábito de se exercitar, ao passo que não conseguem, em sua vasta maioria, manter a consistência dos treinos durante a semana. Isso ocorre com basicamente todos os tipos de hábito. Visto isso, esta resposta simples é, dessa maneira, inválida.

O que verdadeiramente deve ser feito para a edificação de um hábito é pela simples lógica de perpertrá-lo aos poucos, e não depressa.

Em outras palavras, para se criar um hábito, deve-se começar uma atividade aos poucos e sem pressa, ou seja, de um jeito a gastar pouco tempo e energia nela para, então, formalizar tal atividade como um hábito em sua vida. Somente depois do hábito ter sido efetivamente materializado é que você pode começar a expandí-lo e, consequentemente, de fato torná-lo uma parte importante do seu dia a dia.




Darei um exemplo para a melhor compreensão do que quero dizer: o hábito de leitura.

O hábito de ler rotineiramente, todos os dias, pelo menos uma hora por dia, é constituído pela consistência na leitura.

Para ter uma consistência na leitura, deve-se ter em mente que há obstáculos naturais e humanos ao início de um hábito de leitura, isto é, a preguiça e a dificuldade de ler uma hora por dia sem antes nunca ter lido como rotina.

Então, ao invés de tentar se forçar a ler uma hora, um capítulo inteiro, ou um determinado número de páginas por dia, limite-se apenas a um parágrafo, ou, no máximo, uma página por dia.

Mas, por que?

Porque limitando-se a uma tarefa mais factível, como ler somente um parágrafo diariamente, fica mais fácil do nosso cérebro começar a desenvolver o hábito em nossas cabeças. Então, se isso for feito diariamente por uma ou mais semanas, quando vermos, já estaremos inconscientemente acostumados a ler todos os dias.

Pessoas que não seguem isso estão se precipitando, pois não estarão acostumadas a ler muito texto por muito tempo, e logo abandonarão o hábito, ou não terão consistência o suficiente para a sua construção.

Veja a história do Tinôco, do Tinocando TV, que compartilhou a sua história na confecção de seu hábito de leitura.




A concepção de hábitos é bom, pois pode dar um norte para as nossas vidas, e ser a guia para a realização de tão sonhados projetos e vontades pessoais. Muitas pessoas de sucesso tiveram o seu sucesso devido aos hábitos que têm em suas vidas.

Ademais, os hábitos bons, como a leitura e os exercícios físicos, são capazes de substituir hábitos ruins, como o vício em mídias sociais. Na realidade, muitos indivíduos só conseguem se ver livres de tais hábitos ruins quando desenvolvem novos hábitos como substitutos. É por essa razão que grande parte dos centros de reabilitação de viciados em drogas, por exemplo, possuem espaços de meditação e de atividades criativas, como a pintura, que podem fazer com que se gerem novos hábitos e se abandonem os antigos.




É isso! Agradeço pela leitura de minha publicação, e te desejo boa sorte no desenvolvimento de seus hábitos!


Denunciar publicação
    000

    Indicados para você