[ editar artigo]

Aprenda a montar o seu portfólio de Jornalismo

Aprenda a montar o seu portfólio de Jornalismo

Se eu te desse um minuto pra me dizer o trabalho mais impressionante da sua trajetória, qual seria a sua resposta? Depois de anos de mercado, essa pergunta pode até parecer meio sem graça, afinal, todo mundo acaba participando de um projeto grande ao longo da carreira, né? Mas quando a gente ainda está no início desse percurso, o esquema fica diferente. Então, é possível ter uma resposta concreta a uma pergunta como essa ainda na faculdade?

Quem já leu nosso post aqui sobre portfólio, deve ter uma ideia de que sim. A construção de um espaço onde os seus melhores trabalhos estão reunidos vai facilitar bastante o momento tenso na entrevista de estágio onde você para, pensa e, invariavelmente, acaba caindo na armadilha do nervosismo e falando que seu melhor trabalho foi aquele que você fez lá no primeiro período da faculdade. Um spoiler: isso é caô, pessoal 🤯 

Esse pode ser o projeto que mais te marcou, porque, afinal, à época tudo ainda era novidade. Mas duvido muito que seja o seu melhor produto. 

Agora, como encontrar, em meio a anos de entregas, aquelas que são diferenciais? Bom, não existe fórmula mágica, mas se você quer seguir carreira em jornalismo, eu tenho algumas dicas (bem) boas pra te dar! Bora? 🤩

 

1. Mostre que sim: você pode

O mundo moderno exige que um jornalista precise conhecer diferentes áreas do processo de produção. Antigamente, era comum ver uma equipe de pelo menos três pessoas quando o assunto era uma cobertura, o que, hoje, é facilmente  substituído por uma pessoa sozinha com um microfone, uma câmera e bastante força de vontade. A lição por trás disso? Você tem que estar preparado. E trazer isso no seu portfólio não vai fazer mal.

Invista em reportagens solo, nas quais você se colocará como responsável pela apuração, gravação e edição do produto. Com os materiais corretos, dedicação e uma pitada (gigantesca) de esforço, o resultado vai te impressionar. E olha, não se preocupa se você não tem materiais específicos para esse tipo de coisa, hein. Atualmente, é mais do que comum que grandes projetos sejam produzidos com smartphones e sem tanta pompa quanto em décadas passadas.

Uma observação válida é que, apesar da necessidade de produções solo, você não deve deixar os trabalhos organizados em grupo completamente de lado na hora de organizar o seu portfólio, pois eles vão mostrar aos recrutadores que, no duro, pelo menos a skill de trabalho em equipe você domina. E isso é diferencial. 

2. Deixe claro que você é guru tech

O mercado de jornalismo cresce e evolui de acordo com a tecnologia, por isso, a cada momento surgem novas formas de produzir conteúdo. Aquela vibe de que jornalista só precisa saber escrever é passado demais. Não me entenda mal, é claro que para entrar em uma vaga legal você vai precisar da escrita, mas o ponto é que isso atualmente é o mínimo esperado para um futuro jornalista. As empresas buscam quem entenda também de publicidade, edição e roteirização de vídeos,  produção de podcasts e muito mais.

Quem quer começar no jornalismo precisa mostrar que sabe falar com o público pelas mídias tradicionais e, além disso, pelo Instagram, Twitter, Tik Tok… E quer saber mais? É necessário deixar claro que você está pronto para as futuras mudanças também. 

"Ah Bárbara, então agora eu preciso adivinhar o futuro?". 

Não, mas tem que mostrar que pra você é fácil transitar entre uma plataforma e outra sem perder a qualidade da produção em nenhuma delas. E posso te dar um spoiler? Isso é pré-requisito para qualquer vaga em uma empresa que esteja bem estabelecida no momento digital que a gente tem vivido, o que, imagino eu, deve ser um ponto de muita atenção pra você. 

3. Saiba suas prioridades

Eu te falei que você precisa entender um pouco de cada mídia utilizada atualmente no jornalismo. No entanto, é muito importante entender que o seu portfólio deve refletir isso de forma coerente com as suas metas profissionais. Não adianta nada você sonhar com a área de social media e dar foco aos materiais produzidos para podcast ou vice-versa.

Então, como organizar tudo?

Se você tem um portfólio online (o que eu realmente recomendo muito) uma boa saída pode ser a criação de abas para áreas que não são o seu foco e a exposição na página principal de projetos realizados para os espaços que despertam mais interesse em você. Vou dar um exemplo.

Imaginem a Camila, aluna do quarto período de jornalismo que sonha em trabalhar com a área de esportes. Ela fez várias reportagens escritas sobre moda, saúde e muitas em vídeo sobre esporte. Além disso, a Cami produziu um podcast com uma pegada investigativa e tirou várias fotos que refletem a desigualdade no Rio de Janeiro. Ela tem uma quantidade absurda de coisa legal pra mostrar, mas aquela meta de ter uma vaga cuidando do audiovisual de um time carioca ainda fala mais alto. O que fazer?

A boa seria deixar o podcast, as fotos e as reportagens escritas em abas separadas do site e reservar a página principal para os vídeos relacionados ao esporte. Afinal, let's face it: são 500 Camis se candidatando para cada vaga e as chances dos recrutadores viajarem por horas pelo site de cada uma é muito pequena. Por isso, o projeto que vai ser diferencial deve estar em destaque logo de cara.

4. Não guarde o que você produz

Por fim, a última dica é meio óbvia, mas tem bastante gente que acaba deixando passar. PUBLIQUE OS SEUS TRABALHOS!

Reportagens em páginas e sites confiáveis passam muito mais credibilidade aos recrutadores do que aquelas que nem publicadas foram. "Bárbara, mas hoje você tá querendo o mundo, né? COMO eu vou conseguir uma publicação?". Calma, vou te explicar.

Primeiro, se você não tentar, não vai mesmo achar espaço para os seus projetos. Então comece de algum lugar, busque estreitar suas relações com jornalistas que podem ser seus futuros mentores. Aos poucos, o contato fica mais fácil e, quem sabe, sua proposta de pauta não pode ser aprovada em um site que você admira?

Além disso, há também locais onde você pode realizar posts sobre qualquer temática por conta própria, o que, principalmente pra quem tá começando, vale muito a pena. Vou falar sobre alguns:

 

  • Medium: perfeito para textos, nele você consegue criar um perfil e, aos poucos, ir adicionando suas reportagens;

  • Wix: plataforma para a criação de sites, na qual você conseguirá publicar vídeos, podcasts e textos 100% por conta própria; e, finalmente

  •  Comunidade do Estágio: espaço colaborativo no qual diversos universitários publicam seus materiais. Aqui todos os posts são verificados por uma equipe, o que garante que seus textos vão estar ao lado de outras publicações brabas 🔥 

  Inclusive, tem processo seletivo aberto pra ser colunista oficial da Comunidade do Estágio, título que vai enriquecer o seu LinkedIn e te encher de material top pra colocar no portfólio. As inscrições ficam abertas até essa sexta-feira (23). Vem com a gente fazer parte do que está caminhando para ser a maior comunidade de estagiários do país? É só clicar aqui!

E se ainda restou alguma dúvida em relação ao que colocar no seu portfólio, que tal uma conversa com uma galera que sabe mais? Mentoria faz sempre bem pra quem está no processo de se tornar um #SuperEstag, então acho que já passou da hora de você conhecer melhor os Jovens Titãs. Vai perder a oportunidade?

Comunidade do Estágio
Ler conteúdo completo
Indicados para você