Atividades
  • Notificações
  • Tags
  • Favoritos
Nenhuma notificação

5 coisas que aprendi durante minha procura por um estágio

5 coisas que aprendi durante minha procura por um estágio
Mariana Fekete Oshima
ago. 13 - 6 min de leitura
8 Curtidas
3 Comentários
0

Para tudo na vida há uma primeira vez, e como é de praxe, todas as primeiras vezes representam um desafio, por nos tirarem justamente da nossa zona de conforto. E se há uma iniciação capaz de assustar qualquer um, é a busca por um lugar no mercado de trabalho, especialmente quando não temos experiência e tudo o que levamos na bagagem são nossas expectativas, sonhos e a teoria que encontramos nos livros. 

Há quase um ano comecei nessa jornada, na qual me juntei a diversos amigos, colegas e desconhecidos, na procura por um tão sonhado estágio e acabei aprendendo lições valiosas durante este período. Preparado(a)? Então, vem conferir 5 coisas que aprendi durante minha procura por um estágio:

VOCÊ VAI RECEBER MAIS "NÃOS" DO QUE IMAGINA

Quando começamos a entender o que de fato queremos para nossa carreira e tentamos alinhar isso com o que a profissão espera de nós, nosso primeiro passo é criar o CV e sair mandando-o para todos os bancos de talentos e vagas em aberto que encontramos relacionados ao nosso curso. 

Após enviar as primeiras cópias, o tempo passa e recebemos algumas negativas (ou às vezes nem isso), e logo o desânimo bate a nossa porta. Continuamos mandando por semanas, meses a fio, esperando por uma entrevista que seja e nada. É aí então que passamos a nos perguntar se há algo errado conosco, e junto da culpa, vem a tristeza, nos fazendo pensar que nunca vamos arranjar nada e para cair na tão temida síndrome do impostor não demora muito.

Percebe o quanto esse ciclo é destrutivo? Nos afundamos em um sentimento de incapacidade que criamos por conta da insegurança, sem levar em consideração questões como o atual momento econômico e social, a quantidade de currículos que são enviados diariamente e até mesmo o que o recrutador está procurando, dentre tantas outras possibilidades.

Portanto, a quantidade de ‘nãos” que você vai levar na procura por um estágio poderá ser gigantesca (e não é culpa sua, ok?).

 

VOCÊ IRÁ REFAZER SEU CURRÍCULO CENTENAS DE VEZES (E PODE SER QUE ACABE GOSTANDO DISSO)

Ao ler o tópico acima, você talvez pense “gostar de refazer currículo? essa menina deve ser doida”.

Calma, eu te explico!

Pegando o gancho do tópico anterior, você já sabe que vai receber muitas negativas até alcançar sua vaga, e tendo isso em mente, não é surpresa que seu currículo precisará de uma atenção especial

Seu currículo é sua carta de apresentação antes mesmo que o recrutador tenha a chance de lhe conhecer pessoalmente, logo, é fundamental que ele não seja só uma folha A4 com seus dados, mas que contenha também uma boa diagramação e edição, mesmo que simples (dica: no Canva existem diversos modelos modernos para se inspirar, a plataforma é gratuita e super fácil de mexer!). Acredite, um CV com um belo template já faz toda a diferença.

Quanto a gostar de “refazer CV”, essa foi uma das coisas mais curiosas que aprendi, mas a verdade é que o currículo que você enviou há seis meses, é muito diferente daquele que você enviou hoje de manhã. À medida que o tempo passa - e sobretudo nessa quarentena - fazemos cursos, nos envolvemos em projetos voluntários, aprendemos um novo idioma… enfim, vamos somando competências, e ao incluí-las em cada novo currículo, percebemos nossa própria evolução e esforço.

Ao criar templates, acabei encontrando na edição um novo hobby, e junto de cada nova competência que coloco em meu currículo, ganho também uma injeção de ânimo.

 

A PROCURA POR UM ESTÁGIO É NA VERDADE UM PROCESSO GIGANTESCO DE AUTODESCOBERTA E AMADURECIMENTO

Quanto mais expostos ao mercado de trabalho ficamos, mais aprendemos sobre nós mesmos. Ao treinar para entrevistas, por exemplo, praticamos nossa eloquência e capacidade de autoconhecimento, e da mesma maneira que cada recrutador procura um perfil de candidato, nós também aprendemos a ser mais seletivos em relação às empresas e seus valores. Além disso, procurar por um estágio nos torna mais resilientes a cada negativa, o que por consequência, acaba sendo um exercício a favor do desenvolvimento da inteligência emocional.

 

O DESÂNIMO É UM BICHINHO INSISTENTE MAS A ESPERANÇA TAMBÉM É

Como em qualquer jornada, haverá momentos em que você terá vontade de desistir. Mas lembre-se: desistir não vai mudar sua situação, apenas estagnar-la. Se o desânimo é insistente, então sua esperança e confiança em si mesmo precisam ser duas vezes mais.

 

O CONHECIMENTO NÃO TEM HIERARQUIA

Li a frase que nomeia este tópico no livro Não é fácil ser jovem de Rando Kim  (confira a resenha aqui: https://comunidadedoestagio.com/blog/nao-e-facil-ser-jovem-uma-dose-de-compreensao-em-meio-ao-caos) e penso que ela me esclareceu diversas coisas. Costumamos colocar cursos universitários em uma escala de importância desde o momento em que precisamos decidir por um, e o mesmo ocorre na hora de desenvolver competências. Temos medo, ou achamos que não somos capazes de aprender algo porque parece que está fora de nosso alcance. 

Mas da mesma maneira que o conhecimento não possui hierarquia, você é capaz de desenvolver qualquer competência que queira. Leia, assista, fale, escreva, pratique. Não apenas porque as vagas exigem, mas por você e por todo o leque de possibilidades que se abre a partir do momento em que resolve tentar.

Ainda não encontrei um estágio, e até que eu consiga uma oportunidade, continuarei aprendendo. E assim como esse período tem me ensinado tanto, espero que meu texto seja capaz de ajudar você, que também está passando por essa situação, de alguma forma.

 


Denunciar publicação
8 Curtidas
3 Comentários
0
0 respostas

Indicados para você