[ editar artigo]

Setor Público X Setor Privado

Setor Público X Setor Privado

Durante o processo de procura pelo estágio ideal, sempre surge aquela dúvida: Estagiar no setor público ou no setor privado?

Como sou apenas uma jovem aprendiz resolvi recorrer à dois amigos que 
estagiaram/estagiam no setor público e no setor privado, fiz algumas perguntas para ambos e vou resumir pra vocês um pouco do que eles me contaram.

Primeiramente, eu vou apresentar duas pessoas INCRÍVEIS que me ajudaram muito para esse texto sair.

O estagiário do setor público que me ajudou foi Pedro Valente, de 21 anos, estudante de Direito. Já a estagiária do setor privado foi Beatriz Oliveira, de 22 anos, estudante de Administração

Escolhi esses dois a dedo porque sabia que eles iam me dar a luz necessária para eu contar direitinho como foi/é a experiência profissional deles como estagiário nesses dois setores. 


Vou começar pelo Pedro e suas experiências de estagiar no setor público, que é talvez o sonho de muitos estudantes de Direito. A primeira pergunta que fiz para ele foi a principal: Como foi seu processo seletivo.

Ele já me surpreendeu falando que o processo dele foi um pouco diferente, ele contou que tinha uma amiga que trabalhava no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e, aproveitando esse contato dentro do TJ, ele resolveu conversar com a supervisora dessa sua amiga, pedindo uma indicação para estágio meses antes dele entrar.

Na minha visão, ao ter essa atitude, ele já passou um perfil proativo e fora da curva, porque ele foi a procura da oportunidade. 
Depois de alguns meses, ele foi chamado para a vaga. 

A adaptação do Pedro foi bem fácil, já que ele apresenta um perfil bastante comunicativo. Ele conta que no início ele perguntava tudo, sempre muito interessado a se familiarizar com a sua equipe. Sua rotina de trabalho era bem dinâmica, algumas de suas demandas eram ficar realizando o atendimento no balcão da VARA e realizando consulta processual. Ele afirmou que não tinha vergonha de aprender e quando não sabia certas informações de alguma questão mais sigilosa e evoluída, consultava seus superiores. Além disso, ele também realizava a digitalização de processos, integrava em outras Varas buscando informações e recebia encomendas para o Juiz da Vara em que atuava.
Estag é aquele que se envolve com tudo sim!!

Na sua opinião, no ramo do Direito ele acha que o Tribunal de Justiça é o local ideal pra fazer o primeiro estágio.

"Aprendi bastante como me adaptar em um ambiente profissional, como fazer amizade, foi bastante agregador pra minha persona profissional”, comentou Pedro.

Valente também contou como funciona a divisão do TJ. Segundo ele, é divido em gabinete e cartório. Ele atuava no cartório da décima sexta vara de fazendo pública, e a divisão de atendimento do balcão era organizada entre os estagiários, mostrando e valorizando o trabalho em equipe, que é sempre muito importante. 

Após saber da experiência de Pedro de estagiar no setor público, fui falar com Beatriz, que já passou por duas startups e uma empresa júnior. Seguindo as mesmas perguntas que fiz para o Valente, pedi pra ela me contar como foram seus processos seletivos e sua adaptação nas startups

“Como é uma startup, você tem muita porta de entrada, muitas possibilidades de carreira. Com o crescimento da empresa, você pode crescer de uma área para outra e até ser a liderança daquela área”, contou. 

Na primeira startup que ela passou, foi de início para a área comercial mas com possibilidades em outras áreas.

Quando ela fez o processo seletivo da  Pareto, sua atual empresa, foi realizado um questionários com questões de lógica e algumas outras perguntas. Após essa etapa, ela foi chamada pra entrevista com o front da área de operações e uma recrutadora do RH. Beatriz deixou claro que em uma startup, eles querem saber quem você realmente é e se seu Fit cultural se encaixa com o da empresa. Mesmo sendo uma startup maior, eles querem funcionários que se encaixem na equipe.

Na Pareto, ela teve duas semanas de treinamento on bording para adaptação, o que foi essencial para a galera que entrou junto com ela. Mas foi realmente na prática do dia a dia, perguntando e se desenvolvendo, que a equipe nova pegou autonomia de trabalho. 

Beatriz deu a dica valiosa de que para trabalhar em uma startup, você precisa ser propositivo e ter vontade de trabalhar e crescer, propor mudanças e ideias na sua área ou, caso seja necessário, em outras áreas.

Também questionei o que a empresa júnior mudou na sua vida profissional e ela contou que influenciou muito no seu conhecimento profissional e, que muito do conteúdo que ela tem hoje, foi por conta da EJ, já que foi lá que ela começou a colocar seus aprendizados teóricos na prática.

Os dois se destacaram por suas  habilidades comportamentais e interesse em aprender, observei muito no Pedro quanto na Beatriz muita vontade de crescer profissionalmente e os dois realmente querem colocar em prática o que aprendem. 

Não querendo puxar o saco dessas duas pessoas maravilhosas, que são meus amigos pessoais, mas acredito que eles vão muito longe e, se continuarem nesse caminho independente do setor, o sucesso está garantido.

Aproveitando a vibe de entrevistas, perguntas e respostas, eu aproveitei que boa parte do meu ciclo social são universitários, coloquei uma caixinha no meu perfil do instagram para saber outras diversas opiniões sobre esses dois setores. 

Coloquei uma pergunta que era "Para você, é melhor estagiar no setor público ou no setor privado?" e, ainda pedi o porque de suas respostas:

A porcentagem para estagiar no setor privado foi muito alta e quem respondeu o porque, disse que a chance de efetivação seria maior e que pensam muito em Plano de carreira, crescer dentro da empresa e/ou crescer com a empresa. 

Já a galera que escolheu setor público como primeiro estágio, disse que é mais tranquilo por ter mais estabilidade, possibilidade de aprender tanto quanto o privado e ter a chance de conhecer os dois lados.

Porém, algumas pessoas criticaram o setor público por ser muito monótono e ter pessoas sem paciência para ensinar. Acredito que isso varia muito do lugar e do setor em que você vai trabalhar, então é sempre bom pesquisar  sobre o local.

Não adianta estagiar por estagiar, é preciso pensar no seu aprendizado e no seu bem-estar.

E você caro leitor?
Qual setor te chamou mais atenção?

 

Comunidade do Estágio
Ágatha Barros
Ágatha Barros Seguir

Curiosa, animada e comunicativa. Colunista Oficial, Graduanda em administração e Jovem Aprendiz

Ler conteúdo completo
Indicados para você