Atividades
  • Notificações
  • Tags
  • Favoritos
Nenhuma notificação

Será que "Round 6" pode mesmo estar na Netflix?

Será que "Round 6" pode mesmo estar na Netflix?
Jeanne Delava
out. 13 - 6 min de leitura
0 Curtidas
1 Comentários
0

Olá, leitores e leitoras do meu coração!

A Netflix anunciou ontem (12) no Twitter (veja aqui) que a série "Round 6" já é a mais assistida da história da plataforma, o que já era esperado.

Sendo vista por 111 milhões de contas, a produção sul-coreana criada por Hwang Dong-hyuk ultrapassou a série "Bridgerton", que foi assistida por 82 milhões de usuários.

Provavelmente você já viu algo sobre a série neste vasto universo que é a internet.

Mas, somente para relembrar, o programa (que até ficou conhecido como "Jogos Mortais" das séries) reúne pessoas que estão completamente endividadas para brincarem com alguns jogos infantis.

O vencedor leverá uma "bolada" grande de dinheiro para não se preocupar mais com as dívidas, mas aqueles que perdem a brincadeira são mortos.

Entretando, apesar de chamar a atenção à critica social que a série apresenta, há um ponto bem polêmico envolta dela: o seu consumo por crianças e pré-adolescentes.

Por isso, eu te pergunto: os mais novos deveriam ter acesso à produção? Ela poderia estar na Netflix? Quais consequências isso traz?

Vamos discutir sobre isso?

4 motivos para assistir Round 6

Bom, eu confesso não tinha pensado nessa questão até ouvir do meu irmão, de 12 anos, que nossos pais não o deixaram assistir à série.

Segundo ele, todos os colegas (algumas desculpas nunca mudam, não é mesmo? hehe) da sala já haviam visto e comentavam constantemente sobre ela, o que, obviamente, lhe deixou com mais vontade de conferir.

Depois disso, comecei a me questionar sobre o acesso de crianças e pré-adolescentes ao programa e resolvi trazer essa discussão para cá.

Precisamos começar dizendo que, por estar disponibilizada em um dos maiores serviços de streamings, esse público facilmente tem acesso a ela.

E, mesmo tendo a classificação indicativa de 16 anos, ela dificilmente é respeitada.

Há anos atras, quando tínhamos somente a televisão ao nosso dispor, nosso acesso a programas não recomendados para nossa faixa etária era mais limitado, pois, normalmente, eles eram exibidos à noite e pela madrugada.

Contudo, podendo ser acessado em qualquer momento e de qualquer dispositivo, o público em questão está assistindo massivamente a "Round 6".

Além disso, a vontade de saber o que se passa na série é grande, pois ela rapidamente virou sensação e passou a ser discutida em todos os lugares, incluindo a escola.

Quem não quer se informar sobre a última febre, não é mesmo?

Inclusive, a escola Alladin, no Rio de Janeiro, chegou a fazer um pronunciamento em suas redes sociais, dizendo que "Squid Game", nome original da produção, já tinha virado assunto entre os alunos de 7 a 8 anos.

Ou seja, podendo ser acessada facilmente e sendo falada em todos os lugares, além de apresentar um jogo de cores atrativo ao público em questão, que é mais visual, que criança não gostaria de ver "Round 6"?

Squid Game Gif - IceGif

A polêmica se dá porque a série apresenta diversas cenas de cunho violento, como morte, tortura psicológicatráfico de órgãos, além de sexo, suicídio e palavras de baixo calão.

E a exposição de crianças e pré-adolescentes a esse tipo de conteúdo pode ser danosa. Para a neuropsicóloga Leninha Wagner,

“Ao entrar em contato com conteúdo de cunho violento, as crianças e adolescentes acabam ‘normalizando’ e tomando isso como algo comum."

Prosseguindo, ela afirma que a exposição a conteúdos como esse faz com que as crianças se tornem mais reativas e agressivas.

"Nesta fase da vida (crianças e pré-adolescentes) ainda são imaturos e muito vulneráveis a estímulos que podem se tornar incontroláveis e até mesmo viciantes”

Outra profissional da saúde, a neuropsicóloga Deborah Moss, mestre em Psicologia do Desenvolvimento pela Universidade de São Paulo (USP), afirma que, apesar das crianças estarem mais livres quanto ao que irão assistir,

[...] o que não é permitido para a idade, não cabe aos filhos assistirem nesse momento.

Além disso, o próprio criador da série, Hwang Don-hyuk, se pronunciou em uma entrevista dizendo que a obra não foi feita para crianças e pré-adolescentes.

Indo mais além, ele afirmou que os pais e professores devem estar atentos à exposição do grupo a esse tipo de conteúdo.

Quiz "Round 6": escolha um personagem e te daremos um jogo da infância -  Purebreak

Levando em conta todas essas questões, quais seriam nossas alternativas?

Sabemos que, muitas vezes, proibir as crianças não é o suficiente (já diziam por aí que tudo que é proibido é mais gostoso, risos), pois elas continuarão com aquele anseio de ver do que se trata.

Principalmente depois de verem seus colegas tratando veementemente do assunto.

Sendo assim, podemos ser levados a pensar: Será que "Round 6" pode mesmo estar na Netflix?

Será que os serviços de streaming devem deixar tão aberta a porta para que todos tenham acesso a conteúdo explícito e violento? Isso não transforma as plataformas em uma "terra de ninguém"?

Como não deixar que o desenvolvimento cognitivo das crianças e pré-adolescentes não seja afetado por programas como esse?

Sim, são perguntas e mais perguntas!

Sinto muito se você esperava chegar ao final deste artigo com uma resposta pronta. Creio que dificilmente a encontraremos.

O que nos resta, portanto, é aumentar essa discussão e fazer mais questionamentos sobre os conteúdos que estão facilmente acessíveis às pessoas de todas as idades.

E, claro, devemos levantar nossa opinião e fomentar o debate.

Por isso, me conte nos comentário o que você pensa, eu vou adorar saber! :)


Referências:

REVISTA CRESCER. Round 6: especialista alerta sobre impactos das cenas de violência em crianças. Disponível aqui. Acesso em 13 out 2021.


Denunciar publicação
0 Curtidas
1 Comentários
0
0 respostas

Indicados para você