[ editar artigo]

Sensibilidade também é soft skill

Sensibilidade também é soft skill

É sempre mais profundo quem vive à flor da pele. Não me lembro onde vi essa frase, mas ela me marcou de um jeito que nunca mais consegui esquecê-la. Tudo o que remete à intensidade me chama a atenção porque eu quero ser assim, viver à flor da pele. 

Leminski diria a mim que “isso de querer ser exatamente aquilo que a gente é ainda vai nos levar além”. Já Drummond diria que “tenho apenas duas mãos e todo o sentimento do mundo”. E Cecília completaria com “a vida só é possível reinventada”. 

Eu amo a literatura, principalmente a poesia. Me liberto de todas as regras gramaticais para escrever porque só sigo o meu coração. Sigo a minha intuição e lanço as palavras do meu eu-lírico no papel. Como é bom ter e ser esse poço de sensibilidade (às vezes nem tanto, mas isso é outra história).

Me dói um pouco pensar que a poesia não faz parte da vida de todas as pessoas como faz da minha. Os meus primeiros textos foram poemas e eu me orgulho muito disso. Mas num mundo tão acelerado e em meio às empresas que priorizam as habilidades profissionais de fato - ou as chamadas hard skills -, será que há espaço para ser sensível?

 

Branco e preto, bem e mal, soft skills e hard skills e assim vai

Soft skills e hard skills são termos que precisam estar no vocabulário dos estagiários (e calma que essas são só duas das milhares de palavras que temos que aprender). Eu confesso que ainda tenho um pouco de dificuldade de saber o que são as soft skills de fato, já que elas não são quantificáveis.

Em breves palavras, enquanto as hard skills representam as capacitações técnicas de um profissional (cursos, formação acadêmica, certificados e outros), as soft skills estão relacionadas ao comportamento humano (aquele mesmo papo sobre ser proativo que cansamos de ouvir, mas que nem todo mundo consegue ser de fato).

Desenvolver as hard skills é bastante fácil porque você pode começar por pequenas metas como fazer um curso grátis, aprender o básico sobre algum idioma, participar de eventos da sua área e uma infinidade de possibilidades. 


Algumas empresas optam por contratar profissionais com hard skills específicas porque eles conseguem testá-las na prática, apesar de ser grande a busca pelo funcionário com boa comunicação interpessoal. O problema pega quando esses mesmos profissionais não sabem nada sobre resiliência, empatia e solidariedade porque essas “habilidades” não podem ser medidas por diplomas.

 

Ninguém aprimora as soft skills de um dia para a noite

Assim como ninguém termina um curso de Excel em 1 dia, ninguém consegue aprender a ser empático de uma hora pra outra. Embora as habilidades sejam completamente diferentes, isso é algo que leva tempo e dedicação. Com as soft skills o trem (olha o mineiro fazendo mineirice) é ainda mais embaixo. 

Por se tratarem de habilidades interpessoais, as soft skills também se relacionam com as características da personalidade de alguém. Por exemplo, se uma pessoa que na escola sempre teve a vontade própria de ajudar nos trabalhos e organizar a divisão de tarefas dentro do grupo, consequentemente isso mostra que ela tem o tal falado “espírito de liderança”. Faz sentido pra você?

Se ao fazer uma avaliação pessoal você não conseguiu identificar nenhuma particularidade sobre quem você é, não tem problema. A vida adulta e, consequentemente, a vida profissional, é uma eterna descoberta do somos capazes de fazer. Mas eu tenho certeza que a literatura vai ser uma professora e tanto para a sua caminhada junto às soft skills.

 

Como diz Clarice Lispector: “Sabe o que eu quero de verdade? Jamais perder a sensibilidade, mesmo que às vezes ela arranhe um pouco a alma”.

Sejamos práticos aqui: o mercado de trabalho é competitivo e entendo que só há espaço para os melhores. Independentemente da sua área de atuação, você precisa se destacar entre os demais candidatos, mostrar que você consegue fazer o que diz e faz com excelência.

Não quero que pense a sensibilidade aqui como algo abstrato que só conseguimos captar quando lemos algum poema da Clarice ou de Drummond. A sensibilidade no âmbito profissional diz respeito a saber se colocar no lugar de um colega de trabalho que enfrenta um momento difícil e por isso o seu rendimento não tem sido o melhor. 

Diz respeito também a conseguir captar o que o seu chefe diz e colocar a sua identidade durante a execução do projeto, mesmo que nos mínimos detalhes, para que toda a equipe consiga atingir o resultado que espera. A sensibilidade também se faz presente quando você recebe algum feedback negativo e consegue discernir o que pode fazer melhor da próxima vez.

Embora eu ainda não tenha visto a sensibilidade em nenhuma lista de “10 soft skills que você precisa desenvolver agora”, eu sei que ela faz parte desse universo porque convivemos em sociedade a maneira como tratamos as pessoas diz muito sobre nós mesmos. 

Através da literatura eu aprendi que a sensibilidade é exterior aos livros de poesia e aos contos literários. Eu entendi que é ela que me faz captar os momentos que podem passar despercebidos aos olhos de outra pessoa e então eu faço o que sei fazer de melhor: eu escrevo.

Hard skills são sim muito importantes para o seu desempenho profissional, afinal você precisa mostrar que domina o que faz. Mas nunca esqueça que as soft skills são tão importantes quanto, pois a sua sensibilidade, independentemente do quanto você consegue absorver, te faz único e te permite fazer diferente.

Comunidade do Estágio
Alessandra Veiga
Alessandra Veiga Seguir

Oi, como é que tá do lado daí? Eu sou uma estudante de Jornalismo completamente apaixonada pela comunicação e todas as suas formas. Gosto da maneira com que as palavras unem pessoas e isso me fascina :)

Ler conteúdo completo
Indicados para você