Atividades
  • Notificações
  • Tags
  • Favoritos
Nenhuma notificação

Repensar o que se pensa: analogias da vida

Repensar o que se pensa: analogias da vida
Ana Carla Gouveia
ago. 15 - 4 min de leitura
9 Curtidas
5 Comentários
0

Mais uma semana se passou e com ela os questionamentos que esses tempos de covid tem nos trazido: Para onde iremos? A rotina já se adaptou ao novo normal? O que realmente aprendemos e o que vamos levar de aprendizado dessa pandemia. Inevitável eu não falar disso, pois como pessoa, aluna e como professora, ela mexeu muito comigo (e todo planeta, eu sei). Tudo bem que tem gente que nunca nem viu a quarentena, mas a maioria respeitou. E todo esse processo recolhimento e readaptação, tem me feito pensar e repensar em coisas como:

  • Qual é o meu propósito de vida?
  • Eu sei verdadeiramente qual é a minha identidade?
  • Como posso me reinventar?
  • O que realmente importa?

Bem, no meu post anterior, eu falei sobre a empatia e como é importante praticarmos ela DIARIAMENTE. Já sabemos que o lugar do outro é um lugar que nunca vamos ocupar no mundo. E pensando nisso, começo a questionar se você sabe ou já descobriu qual é o seu propósito de vida..?

Viver com propósito é estar disposto a desfrutar a algo a mais, pleno e inteiro que essa vida pode nos dar.  Do latim propositum, o propósito é a intenção de fazer algo, é o objetivo, a inspiração, o intuito, a finalidade, o que nos move para conquistarmos algo. Viver com propósito é desafiador e também recompensador. Descubra a seu e certamente, tudo fará mais sentido.

E falando de sentido, uma coisa que fazemos muito é sentir. Ahhh o ser humano e suas fases... Assim como a lua, somos cheios delas, e só o tempo e a maturidade pode nos revelar realmente quem nós somos.

Você já se olhou no espelho e perguntou "quem sou eu?"

Se você nunca fez isso, posso te garantir que é uma pessoa bem resolvida e firme, porque essa perguntinha vira e mexe se passa pela minha cabeça. Temos que ter convicção que não somos o que as pessoas pensam da gente. Não somos o que falam de nós. Não somos um diagnóstico, não somos uma doença, um CID. Não somos nosso passado, mas somos o que falamos e fazemos. O que você faz para ser quem é? A resposta sempre vai estar aí, dentro de si (em frente ao espelho) e principalmente, de olhos fechados (que coisa, não?!).

 

E caso você não goste muito do que veja ai dentro, se reinventa, menina(o)! Muda de profissão, de corte de cabelo, de hobby, de amizades, de endereço... Se afasta de tudo o que for tóxico para sua vida! Estuda mais, ocupa essa mente, prioriza o que te faz ser melhor e aquilo que aquece o seu coração. Falar é muito fácil, eu sei, mas tentar não é tão difícil. Tem que dar o primeiro passo. Identificar o que precisa ser mudado, sair da zona de conforto e começar. Só vai! Só tenta que o restante a vida trata de se encarregar...

 

E para concluir o pensamento, foco no que realmente importa! A quarentena deixou todo mundo de cara, porque vimos e vivemos, literalmente, sem carros, aviões, transportes públicos, shoppings, nosso amado emprego e salário (infelizmente), compras, festas, socializações, restaurantes, e etc... E conseguimos. Porém, JAMAIS teríamos passado por tudo tão bem se não fossem os livros, as músicas, os filmes, séries, internet e por último e não menos importante, nossa família e aconchego do nosso lar. Creio que a lição que fica é só resiliência, gratidão, fé e visão de um futuro melhor. Desejo um bom dia, boa tarde, e boa noite, dependendo da hora que você ler isso.

Até a próxima! #usemáscara   

 


Denunciar publicação
9 Curtidas
5 Comentários
0
0 respostas

Indicados para você