[ editar artigo]

Relação existente entre a violência contra o animal e a violência doméstica part.1

Relação existente entre a violência contra o animal e a violência doméstica part.1

Olá, pessoal, tudo bem?! Eu apresentei um artigo ano passado sobre o tema aí descrito! Vocês sabiam que existe sim, comprovações desta teoria? Ela se chama Teoria do Link/ELO. Então, vou apresentá-la para vocês, de acordo com o que eu li e estudei para a realização da apresentação.

Em primeiro lugar, minhas referências bibliográficas foram, principalmente, a monografia do policial militar Marcelo Robis Francisco Nassaro, autor do livro "Maus tratos aos animais e violência contra as pessoas", e também a norte-americana Carol J.Adams, no livro "A Política Sexual da Carne" *recomendo MUITO este livro para entendermos todo o paradigma e a luta de ativistas na luta política disruptiva vegetariana. Ademais, penso ser importante citar a autora Sônia T.Felipe, uma vez que ela é uma das responsáveis pela discussão da "somatofobia", termo do qual irei apropriar ao longo da explicação. 

Enfim, é neste paradigma que nos encontramos, uma mistura de problemáticas sem ter um conjunto de soluções! Porém, o estudo de Nassaro é de extrema importância para entendermos sobre o que significa a teoria do elo. Em primeira instância, é válido afirmar que realizar investigações que comprovem essa teoria é para uma avaliação primária de um futuro agressor, mas não tem como finalidade a punição, e sim a conscientização e a proteção de futuras vítimas. Uma vez que a banalização das provas, a desatenção devida sobre às denúncias e a ineficácia das leis protetivas no que se refere ao poder judiciário no Brasil é uma problemática que todas nós mulheres sofremos! Quem dirá os animais, que não possuem a capacidade de linguagem como nós temos, e não poder comunicar às autoridades que estão sendo espancados e/ou violentados. 

Os estudos primários feitos por Phil Arkow, Frank R. Ascione, ONG_ Pet- ABUSE.COM, Fernando Tapia, John Marshall Macdonald, entre outros autores de pesquisas sobre o assunto, realizado em meados de 1900, mostram que, de acordo com pesquisas laboratoriais, clínicas e psicológicas, homens com tendência à "Tríade comportamental, as quais contém a enurese persistente, atos incendiários frequentes e crueldade animal (NASSARO, 2016, p.20) podem acabar praticando crimes contra pessoas, mais especificamente, suas parceiras. Não que sejam fatos necessários, mas entre pesquisas, também chamada de "Tríade do Sociopata" de Tapia, apenas confirmam a teoria destes três elementos iniciais para prevenção de um crime. 

Além disso, muito se fala sobre a influência que maus tratos aos animais tem na vida de uma criança, no artigo de Alan Felthous, realizada em 1979, intitulada "Antecedentes Infantis de Comportamento Agressivo em Pacientes Masculinos de Psquiatria", na pesquisa, é realizada duas etapas para confirmação da teoria; entrevista clínica e preenchimento do formulário, e que, além do histórico de seus tutelares com comportamento agressivo, havia a crueldade animal nivelada interfamiliar. Nassaro, então, ordenou 09 "motivos" para que o homem tenha que extrair sua raiva ao animal, entre elas, destaco: controle ao animal, retaliação contra o animal para satisfazer um preconceito contra uma espécie ou raça, para expressar agressão contra o animal, para melhorar sua própria condição agressiva de  uma pessoa para o animal, e o sadismo não especificado. 

Psiu! Para entendermos como essa perspectiva se alinha à realidade brasileira, o estudo da Mária José Sales Padilha, nomeado "Crueldade com animais X Violência Contra mulher",demonstra, com seu projeto aplicado às 453 mulheres do Estado de Pernambuco que, praticamente, 50% delas também declararam que seu marido foi abusivo/ agressivo com o animal de estimação, também se averiguou que 79% dos agressores tinham mais de 30 anos e que 63% deles tinham o mesmo nível de escolaridade que as vítimas.

 

 

Por último, gente, sei que ainda é um assunto muito extenso, então irei me organizar para postar o restante do artigo, pois é muito maior! Ainda tenho que me alongar sobre a Adams, sobre a Somatofobia, Sexismo, Especismo e Vegetarianismo!

Em consideração ao tema, dou problemas para ele também

1- A teoria não consegue abranger animais silvestres/de grande porte, visto que, geralmente, pessoas têm animais como cães ou gatos.

2- A solução para isto ainda é muito difusa, mesmo que tenha leis para proteger animais e mulheres (em Curitiba tem), no mesmo paradigma de vulnerabilidade, a solução ainda é extremamente punitiva e não educativa.

3- Apesar das denúncias aumentarem a cada dia, ainda não se tem, no Brasil, medidas que consiga defender animais como seres sujeitos de direito! Isto porque, ainda são considerados "Objetos", não apenas na lei, mas sim na mentalidade das pessoas! A complexibilidade do pensamento animal é válida para discussão, visto que eles conseguem se comunicar, só não como nós.

 

Obs: caso tenham qualquer dúvida, esclarecimento, ou comentários, fiquem a vontade. E também, indiquem leituras!!!

Comunidade do Estágio
Ler conteúdo completo
Indicados para você