[ editar artigo]

Qual é o futuro do Trabalho Remoto?

Qual é o futuro do Trabalho Remoto?

A pandemia de Covid-19 impôs uma nova dinâmica de trabalho. A adoção em massa do trabalho remoto em Home Offices marcou a vida de milhões de trabalhadores. Após meses dessa modalidade de trabalho sendo utilizada em larga escala, a pergunta que fica é: Qual é o futuro do trabalho remoto?

 

Contexto atual

O cenário atual de pandemia alterou a estrutura do trabalho do mundo inteiro. As mais variadas empresas, dos mais variados portes e setores, adotaram o trabalho em Home Office. Nesse contexto, surgem novos paradigmas e complexidades a partir de uma situação inesperada e totalmente nova para os trabalhadores e empresas.

No Brasil, segundo a CNN Brasil - Business (2020), a velocidade de adoção do trabalho remoto durante a pandemia foi alta até mesmo para médias e pequenas empresas. A matéria em questão no portal de notícias traz dados de duas pesquisas (Capterra e Corall) sobre a temática no país. 

Segundo a Capterra, mais de 77% das empresas de pequeno porte já estavam operando com adoção de Home Work no início de Abril. Já na pesquisa da Corall ressalta-se que 44% dos respondentes disseram que gostariam de manter esse sistema de trabalho, mesmo após o fim da pandemia de Covid-19.

Dado o novo contexto mundial, questões como o Mundo V.U.C.A., o rápido desenvolvimento tecnológico, as novas gerações dominando o mercado de trabalho e as dinâmicas atuais das relações de trabalho, a tendência é que cada vez mais o trabalho remoto seja adotado e normalizado.

 

Benefícios do trabalho remoto

Pegar trânsito para chegar ao trabalho? Passar pouco tempo com os filhos e família? Ter a possibilidade de trabalhar apenas para empresas da sua cidade ou de cidades vizinhas? O modelo tradicional de trabalho torna afirmativa todas as respostas à essas questões. Mas o Home Office pode mudar esse cenário. Para o trabalhador, o trabalho remoto pode trazer economia de tempo, promover mais autonomia em sua rotina, passar mais tempo perto dos filhos e família, bem como abrir um leque de possibilidades ao romper a barreira geográfica de trabalho. De certa forma, essa modalidade dá ao trabalhador mais liberdade, ao passo que também dá mais responsabilidade. Ainda há quem goste mais do modelo tradicional de trabalho. Contudo, com a ascensão das gerações Y e Z no mercado, a flexibilidade do trabalho remoto o torna muito atrativo. Até em relação a produtividade, segundo Russo et. al. (2020) e Jonhannsen e Zak (2020), a autonomia percebida pelo trabalhador pode ser muito benéfica para sua produção no trabalho. 

Já no lado dos empregadores, a adoção de Home Office pode trazer uma série de ganhos significativos. O trabalho remoto, segundo Robbins, DeCenzo e Wolter (2013), tem os benefícios:

  1. Reduz o impacto ambiental ao exigir menos uso de transportes; 
  2. O avanço tecnológico torna cada vez mais fácil a adoção de trabalho feito remotamente;
  3. Permite a contratação de mão-de-obra qualificada de outros locais (por disponibilidade ou barateamento), ampliando as fronteiras geográficas de contratação das empresas; 
  4. Permite a redução de custos com infraestrutura, como gastos com aluguel; 
  5. Os locais de trabalho descentralizado favorecem a força de trabalho diversificada com a flexibilidade; e 
  6. A geração Y está dominando o mercado de trabalho, com a aposentadoria dos baby boomers, o que tem mudado a dinâmica das relações de trabalho favorecendo a adoção de Home Office devido à atratividade gerada pela flexibilidade.

Assim, para os empreendedores pode ser interessante estar atento à esses pontos e considerar as possibilidades de adaptação das modalidades de trabalho nas empresas.

Por fim, devido à todos os fatores apresentados, o trabalho remoto tem um futuro promissor. A primeira experiência de adoção em massa por conta da pandemia atual já rompeu a primeira barreira. Tudo indica que o Home Office será uma grande tendência em pouco tempo - se já não é.

 

Mas e aí…

O que você acha sobre o assunto? Você prefere trabalho presencial, remoto ou semi-presencial? E se colocando no lugar de empregador, você adotaria o trabalho à distância na sua empresa?
 

Referências

JOHANNSEN, R.; ZAK, P. J. Autonomy Raises Productivity: An Experiment Measuring Neurophysiology. Frontiers in psychology, v. 11, n. 963, p. 1-8, 2020.

ROBBINS, S. P.; DECENZO, D. A.; WOLTER, R. Fundamentos de Gestão. 1ª Edição. São Paulo: Editora Saraiva, 2013.

RUSSO, D.; HANEL, P. H. P.; ALTNICKEL, S.; BERKEL, N. V. Predictors of Well-being and Productivity among Software Professionals during the COVID-19 Pandemic -- A Longitudinal Study. ResearchGate, 2020. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/343228949_Predictors_of_Well-being_and_Productivity_among_Software_Professionals_during_the_COVID-19_Pandemic_-_A_Longitudinal_Study>. Acesso em 11 de ago. de 2020.

TECCHIO, Manuela. Home office: chefes e funcionários relatam problemas, mas a avaliação é positiva. CNN Brasil – Business. São Paulo, 24 de mai. de 2020. Disponível em: <https://www.cnnbrasil.com.br/business/2020/05/24/home-office-chefes-e-funcionarios-relatam-problemas-mas-a-avaliacao-e-positiva>. Acesso em 11 de ago. de 2020.

Comunidade do Estágio
Marcelo F Fortunato Jr
Marcelo F Fortunato Jr Seguir

Colunista Oficial da Comunidade do Estágio. https://about.me/marcelo.jr

Ler conteúdo completo
Indicados para você