Comunidade do Estágio
Comunidade do Estágio
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
VOLTAR

Procrastinação - Identifique se ela é benéfica ou prejudicial

Procrastinação - Identifique se ela é benéfica ou prejudicial
Suzana Emiliano
mar. 30 - 3 min de leitura
000

Procrastinar é deixar para depois; adiar, postergar, isto é, algo que deveria ser feito naquele dia, naquele momento foi adiado. Pode ser uma simples tarefa ou até mesmo uma situação que precisa ser resolvida.

Procrastinar é um comportamento comum e só se torna um alerta quando a rotina pessoal ou profissional começa a ser prejudicada pelos adiamentos constantes.

Muitas vezes associada à negligência, a procrastinação também pode ser resultante de estresse, ansiedade. Em outra publicação aqui dessa página, com o título de “O Tempo! Amigo ou Inimigo?” falei sobre se ocupar e não produzir: ter um dia cheio de atividades que não estão ligadas ao seu objetivo de vida, ao seu sonho, urgências e demandas de terceiros que nunca acabam, tarefas indesejáveis na maior parte do tempo e que te ocupam gerando estresse e ansiedade.

 A otimização do tempo contribui na divisão das tarefas, concilia momentos de produção de trabalho, entretenimento e descanso. Afinal, queremos ser produtivos e também termos um tempo livre.

A procrastinação pode ser benéfica quando ela é uma escolha consciente, não há urgência nessa atividade, então, pode-se escolher um momento mais adequado para realizar tal tarefa.

Pode ser uma procrastinação por impulso, quando é hábito adiar as coisas. Tem-se tempo livre para fazer, mas como ainda tem alguns dias para entregar a tarefa, deixa-se para a última hora.

E a pior de todas é a procrastinação crônica, tudo sempre é adiado, sempre fica alguma coisa por fazer. Essa é a que devemos combater. Quando falamos de produtividade de tempo, buscamos otimizar as tarefas, aproveitar o máximo do tempo para um equilíbrio entre vida profissional e pessoal.  

Se executarei a atividade agora ou se irei adiar está na forma como nossa mente reage. Tenho uma tarefa para cumprir, nossa mente irá pensar na tarefa, como ela é, como será executada, o que irei precisar para cumpri-la. E é nesse momento que escolho fazer ou adiar. Se a sensação for positiva a tendência é que a tarefa seja cumprida o quanto antes, mas, se a sensação for negativa, logo vem a preguiça, a acomodação.
Segundo Christian Barbosa, numa pesquisa realizada em 2014 para seu livro “Equilíbrio e Resultado”, 60% das pessoas procrastinam porque se perdem na internet; 60% não tem energia, disposição (e esse fator pode ser físico também por alimentação inadequada); 45% por preguiça; 40% por falta de tempo. Nessa pesquisa também se identificou que as tarefas mais adiadas são: academia ou exercícios físicos e leituras.

Falaremos mais sobre produtividade, gestão de tempo e procrastinação no próximo texto.
Nos acompanhem por aqui.
Suzana Emiliano



Denunciar publicação
    000

    Indicados para você