[ editar artigo]

Primeira experiência gerenciando

Primeira experiência gerenciando

Sou estudante de Engenharia de Computação, e estou em meu último período. Meu curso possui a disciplina "Gerência de Projetos", cuja finalidade é intuitiva.

Nela, aprendemos princípios e ferramentas de gerência de projetos, que no caso de minha turma, foi contextualizado em um projeto de software.

E como proposta do professor da disciplina, no primeiro dia de aula, foi passada a descrição do trabalho final, que basicamente era para a turma se organizar para projetar, e implementar um sistema de informação para algum estabelecimento da cidade local.

Na descrição do trabalho foi definido os objetivos, os requisitos, e o barema da avaliação.

Ao final, a turma tinha que apresentar o projeto e os resultados obtidos. Além disso, tínhamos funções, que cada integrante da turma se responsabilizaria, e claro, tínhamos a função de gerente de projeto.

Os alunos da turma tinham a liberdade de dizer qual função preferiria, e no caso de conflito, chegariam a um consenso.

Mas o gerente de projetos foi escolhido por voto, e uma grande maioria me escolheu. Eu entendo que talvez eu tenha sido escolhido por transmitir uma imagem de confiança e respeito, e confesso que me senti empolgado e lisonjeado por tal.

Acima de um gerente de projeto, sinto que fui escolhido como um líder. O líder é aquele que deve assumir as responsabilidades de uma determinada atividade, visando atingir um objetivo em comum àqueles que pertencem a um determinado grupo.

Liderança não tem nada a ver com o estabelecimento de limites, mas sim de oferecer um norte. O líder de um grupo serve como espelho para os seus integrantes, ou seguidores.

Deve ser capaz de incentivar os comportamentos desejáveis de seus integrantes em uma determinada tarefa, seja transmitindo vontade, motivação, entre outros sentimentos.

Entre os diversos problemas que podem existir no relacionamento entre líder e liderados, está a falta de confiança.

Um líder precisa saber ouvir se quiser que seus seguidores confiem nele, mas não só isso, mas também se ouvir, escutar sua própria intuição.
Uma vez que uma pessoa não seja capaz de ouvir às outras, nem sequer sua intuição há de confiar.
Além disso, um líder precisa ser realista, e isso só é possível se o mesmo compreender a realidade de seu grupo, tendo a paciência de ouvir, e entender a realidade individual de cada integrante, para que seja possível a compreensão da necessidade de mudança.

Se eu soubesse disso na época em que eu tive essa experiência, as coisas seriam um pouco diferentes, não por eu não ter sido nada que um líder deve ser, mas por eu ter aproveitado melhor. Aconteceram alguns contratempos e meu analista chefe, que foi meu grande amigo Marco Antônio, que já está formado, me ajudou bastante, nenhuma decisão foi feita sem uma conversa.

No fim, conseguimos entregar o projeto a tempo, e na apresentação fui muito criticado pelo professor por causa das decisões que tomei a fim de conseguir entregar o projeto a tempo, mas em meio às críticas, fui bastante elogiado, e eu tenho orgulho de ter tido essa experiência e gratidão pelos meus colegas de classe.
 


Referências

SUSTENTÁVEIS, TECNOLÓGICAS E. SEUS IMPACTOS. O PAPEL DO LIDER COMO DIFERENCIAL ESTRATÉGICO NA LIDERANÇA CRIATIVA DA EQUIPE.

MOREL, Elisangela Gonzales et al. ESTUDO DOS PROCESSOS EMOCIONAIS, INTELECTIVOS E COMPORTAMENTAIS NA LIDERANÇA ASSERTIVA.

 

Comunidade do Estágio
Harley de Brito
Harley de Brito Seguir

Olá, sou estudante de Engenharia de Computação, ja cumpri com toda a carga horária de disciplinas obrigatórias e optativas, e minha formatura depende apenas, de eu defender meu TCC, e de cumprir carga horária de estágio obrigatório.

Ler conteúdo completo
Indicados para você