[ editar artigo]

POR QUE DOAR SANGUE SALVA VIDAS ?

POR QUE DOAR SANGUE SALVA VIDAS ?

Na Grécia antiga os filósofos pré-socráticos tentaram resumir a origem do cosmos (Arché) em um elemento fundamental como água, ar, átomos, números, que, dentre outras características, fosse essencial e indispensável à vida. O sangue não deixa de ser – na verdade, ele é vital- um conjunto de componentes elementares e ingredientes bioquímicos que literalmente faz o coração pulsar e dar-lhe a graça da existência.

Perder sangue em grandes volumes –hemorragias- ou ter deficiências hematológicas como diversos tipos de anemias, leucemias, hemofilia e trombose significa que a saúde e a vida de um indivíduo está sob ameaça constante. Isso porque esse líquido de cor vermelha que percorre nossas artérias e veias é responsável por inúmeras funções vitais: transporte de nutrientes, gases respiratórios (os famosos oxigênio e dióxido de carbono), leva até os rins substâncias tóxicas para serem excretadas, auxilia no controle da pressão arterial e é nele que as células do sistema imunológico ficam circulando – o coronavírus não gosta nada disso.

O sangue é insubstituível e não foram poucas vidas perdidas por esse motivo. Não há nenhum remédio, solução ou invenção que faça o que o sangue faz em sua totalidade. Você pode transplantar um coração, rins, córnea, pedaço do fígado e seguir sua vida sem se preocupar em fazer um novo transplante, mas com o sangue nem sempre é bem assim, pois há pessoas que necessitam de transfusões sanguíneas praticamente por toda a vida..

As transfusões nada mais são do que coletar sangue de uma pessoa saudável – doador- e injetá-lo ( sangue total ou apenas algum componente) no organismo de outra pessoa –receptor. É um procedimento fundamental para salvar e manter vidas. Em uma emergência hospitalar, o sangue doado pode fazer toda diferença entre viver ou morrer para uma pessoa que sofreu algum tipo de acidente e trauma com perdas significativas de sangue. Mas não é somente em emergências que o sangue doado é importante, também há pessoas com deficiências no sangue como déficit na produção de hemácias, hemoglobinas e fatores de coagulação que necessitam de transfusões continuas para a reposição desses componentes para que usufruam de uma melhor saúde.

Uma bolsa de sangue pode salvar até quatro vidas. Não precisa ser médico e nem um super-herói para salvar a vida de uma pessoa, basta apenas doar sangue. E, por experiência própria, posso garantir: não existe nada mais nobre que aqueça o coração e a alma ao doar sangue e saber que vai percorrer o corpo de outra pessoa, doando-lhe vida.

Não se preocupe, doar sangue não vai te fazer nenhum mal. A quantidade de sangue retirada é em média de 450 ml, menos de 10% de todo o sangue que temos no corpo (em torno de 5 litros). Os matérias de coleta são todos esterilizados e descartáveis, o que significa que você não corre nenhum risco de ser infectado por algum vírus ou bactéria.

Atualmente, segundo o Ministério da Saúde, apenas 1,8% da população brasileira doa sangue regularmente. Por ano, são coletadas cerca de 3,7 milhões de bolsas. Embora estes números estejam dentro do parâmetro definido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que prevê de 1% a 3% de população doadora, há períodos do ano em que as doações caem muito, deixando os estoques de sangue praticamente vazios.

Aqui no Brasil, o período de queda nos números de doações ocorre no inverno, entre os meses de junho e agosto, uma vez que muitos brasileiros viajam, tiram férias, além do frio que causa indisposição na população em ir doar. A pandemia da COVID-19 afastou ainda mais os doadores das unidades de coleta. Em contrapartida, nesse mesmo período, o número de pessoas que necessitam de transfusões de sangue aumenta, seja por acidentes- já que as pessoas viajam mais- ou por complicações de saúde, cirurgias de emergência, tratamentos de leucemias e anemias. Quando há queda de doações e aumento da demanda de transfusões, a conta não fecha no positivo, os estoques de sangue caem abruptamente, muitas vezes ao ponto de zerar e qualquer pessoa que precise de uma transfusão em casos de urgência e emergência corre sério risco de não sobreviver.

Para conscientizar a população sobre a importância de doar sangue, foi criada a campanha junho vermelho, cujo dia 14 desse mesmo mês é comemorado o Dia Internacional do Doador de Sangue. A data de 14 de junho foi instituída em homenagem ao nascimento de Karl Landsteiner, imunologista austríaco que descobriu o fator Rh e as várias diferenças entre os tipos sanguíneos.

E ai, consegui te convencer sobre a importância de doar sangue?

Conte-me aí nos comentários se já é doador, se tem vontade de ser, se já fez sua doação.

Tenho certeza que tem muitas pessoas aguardando esse gesto nobre de amor.

 

Comunidade do Estágio
Wellington Liziero
Wellington Liziero Seguir

Estudante de Biomedicina pela UEM, professor particular e colunista. Sedento por conhecimento. Acredito na ciência. Prezo pela troca, transmissão, produção e divulgação da sapiência científica. Aprecio bons livros, podcasts, séries e documentários.

Ler conteúdo completo
Indicados para você