[ editar artigo]

Por que as pessoas odeiam as segundas-feiras?

Por que as pessoas odeiam as segundas-feiras?

Algumas vezes em minha vida eu repeti a seguinte frase:

"Eu odeio segunda-feira."

Na época da escola, no final do domingo o sofrimento já começava, pois sabia que no dia seguinte começaria tudo de novo, a rotina que menos gostava estava para começar. Acordar nesse dia era muito difícil e por esse motivo surgiam todas as desculpas possíveis, até dores de cabeça e mal-estar.

A semana não estava começando, o que começava era uma contagem regressiva para o final de semana, cada dia que passava era um alívio, pois sabia que o sextou estava mais próximo.

Depois de alguns anos com esse pensamento, comecei a me questionar por qual motivo eu não gostava de forma alguma da segunda-feira.

A resposta foi simples:

Eu estava fazendo algo que eu não estava feliz.

Reparei isso quando eu consegui o meu primeiro estágio, pois aquela experiência era muito esperada, eu estava ansioso e muito feliz para iniciar essa nova jornada da minha vida.

Por um longo tempo, as segundas-feiras foram bem legais, pois marcavam o inicio de mais uma semana de aprendizado e oportunidades de desenvolvimento, mas a partir do momento em que me encontrei em um local que não mais me agradava, que não estava mais gostando, o repúdio pelas segundas-feiras voltaram.

Essa montanha russa de sentimentos por esse dia da semana acompanhava o meu nível de satisfação com o que eu estava fazendo naquele determinado momento da minha vida:

- Se eu estivesse feliz, eu amava as segundas-feiras;

- Se eu estivesse triste, o sofrimento já se iniciava no domingo à noite.

O interessante foi que na mesma época em que percebi tudo isso, eu escutei em um podcast o que muitos de vocês já devem ter escutado:

Se somos infelizes no que fazemos/trabalhamos, seremos infelizes grande parte de nossas vidas.

No livro Felicidade no Trabalho, o autor relata que passamos cerca de 90.000 horas da nossa vida trabalhando, o que equivalem à 10 anos ininterruptos.

Agora imagine 10 anos da sua vida de infelicidade, será que rola?

Parar e refletir com o fim de entender se o que estamos fazendo nos deixa feliz e realizados é um dos maiores investimentos que podemos fazer em nossas vidas, pois fazer o que gostamos e sentimos prazer, está diretamente ligado à tão buscada felicidade.

Comunidade do Estágio
Ler conteúdo completo
Indicados para você