[ editar artigo]

O ultimato ̶B̶o̶u̶r̶n̶e̶ Zuckerberg

O ultimato ̶B̶o̶u̶r̶n̶e̶ Zuckerberg

Como publicitário, entendo a importância que os dados tem para as campanhas de marketing e como isso ajuda a reduzir custos e dar validade para as estratégias, mas alguns episódios recentes me fizeram repensar sobre um bem muito precioso que as novas politicas de privacidade do Whatsapp então nos tirando... a LIBERDADE DE ESCOLHA.

O cenário atual

A questão da preservação da privacidade tem sido discussão em todo o mundo. Os últimos anos têm apontado uma tendência acelerada da publicidade digital em preservar a privacidade dos usuários.

Vou dar destaque aqui para duas mudanças neste sentido.

A 1º, a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) que estou em vigor no final de 2020, e teve como base a GPDR - regulamentação europeia – estabelecendo regras mais claras sobre coleta, armazenamento e compartilhamento de dados pessoais por parte das empresas. As empresas precisaram de autorização explícita dos donos do dado, o que as obriga a provar que precisam destes dados para a interação com o cliente.

A outra alteração que impacta fortemente o universo do marketing digital é o fim dos cookies de terceiros, que foi adotado pelos Browsers (Safari, Mozilla Firefox e agora o Google Chrome). Cookies de terceiros, são arquivos criados por outros sites, diferentes do que você está acessando, através de anúncios e imagens que você visualiza na página web em que está.

Indo na contramão, está Mark Zuckerberg e suas novas politicas de privacidade do Whatsapp. Zuckerberg parece - assim como Jason Bourne - deve ter esquecido seu passado e resolveu dar um ultimato em seus usuários.

O que muda?

No dia 8 de fevereiro, começou a valer a nova política de privacidade do WhatsApp. O “pedido” para aceitar as novas políticas já começou a aparecer para os usuários ao abrir o aplicativo. A mensagem diz que “após essa data, você deverá aceitar as atualizações para continuar usando o Whatsapp”.

Mas calma, as suas conversas com o crush não vão à público...

O objetivo é permitir que empresas terceirizem o armazenamento das conversas com os clientes, possibilitando que as empresas usem os dados do Whatsapp para direcionar anúncios personalizados para o usuário.

O problema é que a criptografia de ponta a ponta terá uma brecha, já que um terceiro estará lendo, armazenando e gerenciando a interação. Além disso haverá uma coleta ainda maior dos dados, como o nível da bateria, a operadora, a força do sinal e a localização (mesmo que você não esteja utilizando recursos que envolvam a localização).

As reações negativas foram tão grandes, que o aplicativo adiou para 15 de maio a mudança.

Mande um SIGNAL... vai ser golpe fatal!

Com todo o rebuliço, aplicativos rivais como o Telegram e Signal, têm ganhado destaque. Tendo picos de downloads, o Telegram ganhou 25 milhões de usuários em 72 horas.

Já o Signal, não poderia pedir propaganda melhor. Elon Musk, gênio, bilionário, playboy, filantropo e CEO das companhias Tesla e SpaceX, publicou em seu Twitter, “Use Signal”.

https://twitter.com/elonmusk/status/1347165127036977153

 

 

Musk postou o comentário logo após as novas políticas do Whatsapp serem divulgadas. O app então ganhou tantos usuários, que apresentou “dores de crescimento”, postando em suas próprias redes sociais que estava tendo problemas em enviar os códigos de verificação para novos usuários.

Outro fato interessante é que o app tem o selo Snowden de qualidade...

https://twitter.com/Snowden/status/661313394906161152

 

 

Opps…

Mudando um pouco o assunto, uma curiosidade que vale mencionar é a importância que quem os “influencers” têm para o mercado atualmente.

Apesar de seu tuíte ter se referido ao mensageiro virtual - que é open-source e gratuito – outra empresa se beneficiou da postagem.

As ações da empresa Signal Advance, que não é a mesma do app, dispararam na bolsa de valores americana, subindo até 885%. Tudo por causa de um único tuíte.

O que você acha das novas políticas de privacidade do Whatsapp? Como você vê o futuro do marketing digital com as novas mudanças? Ama Elon Musk sim ou com certeza? Deixa seu comentário ou feedback, e até a próxima!

Comunidade do Estágio
Léo Machado
Léo Machado Seguir

Sou o mais crédulo dos sonhadores e o mais realista dos cínicos. Cineasta amador, roteirista amador, fotográfo amador, escritor amador e profissional na arte de ser amador, que ama o fato de todas suas redes sociais serem leo10machado.

Ler conteúdo completo
Indicados para você