Atividades
  • Notificações
  • Tags
  • Favoritos
Nenhuma notificação

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE FUNDOS DE INVESTIMENTO

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE FUNDOS DE INVESTIMENTO
NICOLAS RALINE DE SOUSA
jan. 27 - 5 min de leitura
3 Curtidas
3 Comentários
0

 

Atualmente, todo mundo parece saber o caminho para ficar e/ou deixar você rico com os macetes e segredos do mercado financeiro. E por mais longe da realidade que isso possa parecer, pode ser que o mercado financeiro deixe realmente alguém rico. A diferença é que isso não acontece graças a técnicas e segredos e, sim, por meio do conhecimento, da responsabilidade de risco, do aporte de capital e, claro, um pouco de sorte para que não ocorra nenhum imprevisto.


E para além disso tudo, outra coisa muito importante é saber que o mercado financeiro não se resume à bolsa de valores e às ações. Existem inúmeros outros ativos e outras formas de se aplicar dinheiro financeiramente. E para expandir o seu leque de conhecimento, hoje, falaremos exclusivamente dos Fundos de Investimento.
 


Fundos de Investimentos são o conjunto do dinheiro de várias pessoas que contratam uma empresa para administrar seus investimentos.



A primeira coisa que devemos saber sobre os FIs, como também são conhecidos os Fundos de Investimentos, é que ele é o conjunto do dinheiro de várias pessoas que contratam uma empresa para administrar seus investimentos e, consequentemente, escolher que ativos serão ou não adquiridos.

O que em outras palavras, pode ser entendido como um serviço de orientação e administração de investimento em ativos financeiros. 

E no âmbito deste serviço, vale destacar que existem vários tipos de segmentos, que estão estritamente relacionados com o tipo de ativos que os próprios fundos e os seus clientes preferem.

Por exemplo, o Fundo de Investimento em Cotas é um fundo que investe em outros fundos. O de Renda Fixa é aquele que investe em ativos como CDB, ações e outros do gênero. 

Os ETF's  são aqueles que colocam em prática os índices teóricos de grande referência, replicando a composição de sua carteira de forma exata ao anunciado pela Ibovespa, citando um caso possível.

Já os Fundos Imobiliários tem a maioria de sua carteira em ativos imobiliários, sejam eles físicos, no caso de prédios e construções, ou em papéis de direitos. 

Também existem Fundos de Direitos Creditórios que se caracterizam pela compra de direitos a receber. E os Fundos em Participações que, na prática, funcionam como incubadoras de empresas e start ups, investindo hoje para lucrar com o seu crescimento e valorização no futuro.


Porém, esses não são os únicos disponíveis, ainda há várias outras opções no mercado. E para participar ou contratar os serviços de um fundo é necessário saber qual é a sua modalidade.

No caso dos FI's abertos, qualquer pessoa que tenha o valor mínimo para participar pode entrar, assim, como qualquer pessoa que faça parte dele, pode sair. Porém, alguns deles podem ter carência para a saída.

Da mesma forma também existem fundos fechados, que possuem determinadas datas para entrar e sair ou até mesmo a impossibilidade de abandonar o serviço. Nesses casos o resgate do dinheiro só pode ser feito no mercado secundário (tema para outro artigo).

As taxas a serem pagas por esse tipo de serviço são:

  • Taxa de administração em % ao ano, descontada sobre o seu rendimento;

  • Taxa de performance, quando e da forma que estiver prevista no regulamento;  e

  • Taxa de entrada e de saída que, como o nome já diz, são os valores cobrados para participar e abandonar o fundo;

  • Além, claro, do Imposto de Renda que, em alguns casos, serão descontados direto da fonte e em outros, deverão ser quitados pelo investidor, via DARF.


É importante lembrar que a administração do fundo só pode ser feita por um empresa jurídica, e dentro desta instituição, o Gestor será a pessoa responsável pelas escolhas de compra e venda de ativos e, consequentemente, pelo rendimento de seu investimento.

Além dele, o Custodiante será o responsável pelo registro de todas as ações do respectivo fundo e é esse registro que será usado para a divulgação do resultado anual.

Por fim, indo contra o imaginário coletivo dos sonhadores do mercado financeiro, os Fundos de Investimento, assim como qualquer outro tipo de investimento, não consolidam apenas lucros e não apresentam garantias de sucesso. Para aumentar ainda mais os riscos, esse tipo de serviço não possui cobertura do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) e, em alguns casos, o resgate de seu dinheiro não pode ser feito diretamente no fundo onde se investiu.

Por isso, a escolha por esse tipo de serviço acontece exclusivamente por meio de sua reputação e pela análise e transparência de seus históricos de divulgação.


Denunciar publicação
3 Curtidas
3 Comentários
0
0 respostas

Indicados para você