[ editar artigo]

O que acontece com a criatividade quando nos tornamos adultos?

O que acontece com a criatividade quando nos tornamos adultos?

Ao ser inserido em um ambiente de ritmo acelerado, onde a produtividade precisa ser excelente e “tempo é dinheiro”, habilidades que demandam o processo oposto tendem a ser deixadas para trás. É o caso da criatividade, aptidão que é bastante estimulada na infância, mas ao decorrer da vida adulta se esvai… Até que a importância e a necessidade dela são notadas outra vez.

Vale ressaltar que a criatividade não é um dom. Essa é uma das aptidões mais estimuladas na pré-escola, como algo essencial para o desenvolvimento nas primeiras idades, seja no campo artístico ou comunicacional. Logo, se as crianças são tão incitadas a serem criativas e todo mundo já foi criança um dia… Todas as pessoas podem ser criativas, não se trata de um talento divino, ou melhor, “criadivindade”, afinal, ser criativo é sobre fazer novas conexões com elementos distintos não tão óbvios.

É comum, a partir da adolescência, que esse “pensamento colorido” seja acinzentado, principalmente devido a um sistema educacional que treina e cobra proeminência em uma prova de noventa questões a serem respondidas em pouquíssimo tempo. Além disso, a pressão psicológica sobre ser o momento de tomar decisões acerca da vida e da carreira profissional pode coibir qualquer desenvolvimento que não seja em prol daquele único objetivo. Isso pode ser ainda mais acentuado, posteriormente, em ambientes de trabalho que não permitem a autonomia e a liberdade de criar e propor mudanças.  

Entretanto, usualmente, ao se deparar com o que a universidade e o mercado de trabalho atual esperam, é perceptível que a criatividade é uma grande aliada e não deve ser colocada como segundo plano. A partir dela é que vêm a inovação, as melhores soluções de problemas e ideias que podem ser um grande diferencial para um trabalho acadêmico, uma empresa ou mesmo para vida particular, afinal, ser criativo é também um estilo de vida mais leve.

Dessa forma, ao entender a importância de instigar o pensamento criativo durante todas as fases da vida, existem uma série de práticas que podem ajudar a não cair no tão temido bloqueio criativo. Essas dicas poderão ser conferidas no texto da próxima semana. :)

Comunidade do Estágio
Mariana Martins
Mariana Martins Seguir

Colunista Oficial AU | Estudante de Jornalismo | Aluna Pesquisadora Sempre bom lembrar: não fui eu, foi meu eu lírico.

Ler conteúdo completo
Indicados para você