[ editar artigo]

O pequeno príncipe, uma leitura mais que necessária

O pequeno príncipe, uma leitura mais que necessária

"Para aqueles que compreendem a vida, isto pareceria sem dúvida muito mais verdadeiro."

O pequeno príncipe é um clássico da literatura mundial, um dos livros mais lidos do mundo, eu demorei 20 anos para ler, pode ser que você ainda não tenha lido, e eu recomendo muito, ele é super acessível economicamente na amazon, existem versões físicas em diversos sebos, e também pode ser encontrado em pdf de forma grátis pra quem quiser. vamos a história…

 

O livro conta a história de um piloto que cai de avião no deserto e encontra uma criança, que diz ser de outro planeta. Essa criança se auto intitula de “pequeno príncipe”, e enquanto o piloto tenta consertar seu avião, a criança conta suas histórias desde a saída de seu planeta até a chegada ao deserto.

Mas o que era para ser um livro infantil chega a ser extremamente tocante e capaz de trazer profundas reflexões, é aquele tipo de livro que você lê de uma forma quando criança, e ao ficar mais velho, lê novamente e se torna outro livro, completamente diferente e capaz de explodir sua mente, com frases tão simples mas com tanto significado.

O livro logo de início fala de como as crianças e os adultos são diferentes, não apenas de uma maneira lógica, mas de como a vida pode ser simples se pensada de uma forma “infantil”, e na verdade os adultos que complicam as coisas (o que é verdade né?). E conforme vamos deixando esse nosso espírito de infância, vamos perdendo esse tato com a criatividade e com a visão simples dos fatos e situações, que muitas vezes seriam facilmente resolvidas se ainda fossemos crianças.

O livro também tem uma versão filme, que mostra muito bem essa diferença entre as crianças e os adultos, o mundo das crianças é mais feliz, mais prazeroso, mais colorido e até mais humano, quando mostra o mundo somente de adultos, tudo é cinza, um ambiente mais sério e quando alguém é visto demonstrando alegria genuína, as outras pessoas olham com estranheza. Tanto que até existem “dois mundos” no filme, que seriam mais duas cidades, uma onde tem crianças com os adultos responsáveis por elas, nesse mundo os adultos criam as crianças para que elas se tornem adultos iguais a eles, com tudo controlado e sem espaço para a liberdade e criatividade, e do outro lado um mundo apenas com adultos e nenhuma criança é vista.

Então, eu trouxe aqui algumas frases que me fizeram refletir muito e até me impactaram, e espero que essa frases também possam balançar você mesmo que um pouco:

"Quando tinha seis anos, os adultos me desencorajaram a seguir a carreira de pintor. Não aprendi a desenhar mais nada, exceto serpentes vistas pelo lado de fora e serpentes vistas pelo lado de dentro”.

“É preciso exigir de cada um o que cada um pode dar”

“Tu não és para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo…”

"Tu não és para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo…"

"só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos"

"Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas."

Existem outras passagens que me fizeram refletir e me emocionaram durante o livro, mas acabaria trazendo o livro por inteiro.

Por isso, recomendo muito a leitura, mesmo que seja apenas para um divertimento, o livro é bem curtinho, da pra ler em menos de 1 hora, e com uma linguagem muito simples.

O que eu pensei ser um livro infantil e até meio bobo, se tornou algo muito profundo e me me deixou sem palavras.

Esse é certamente um dos meus livros favoritos e recomendo muito à todos!

vocês que já leram, o que acharam? Teve alguma passagem que te marcou mais?

 

Comunidade do Estágio
Matheus Fernandes
Matheus Fernandes Seguir

Colunista oficial da comunidade do estágio, graduando em design gráfico

Ler conteúdo completo
Indicados para você