Atividades
  • Notificações
  • Tags
  • Favoritos
Nenhuma notificação

O bloqueio criativo e práticas simples para evitá-lo

O bloqueio criativo e práticas simples para evitá-lo
Mariana Martins
ago. 13 - 3 min de leitura
12 Curtidas
4 Comentários
1

A criatividade pode ser facilmente estimulada e o processo pode ser um alívio para a mente quando envolve atividades prazerosas. Entretanto, qualquer pessoa está sujeita a cair no chamado bloqueio criativo, momento de improdutividade e sensação de que as habilidades foram obstruídas por algum motivo.

Existem alguns fatores que podem coibir o desenvolvimento da criatividade e trazer esse entrave. Pressão, deadline, tédio, excesso de informação e busca por perfeccionismo são alguns. Ainda que pareça inevitável, já que essas eventualidades podem pegar a rotina de surpresa, existem algumas práticas que podem ser feitas no dia a dia para que isso seja evitado.

  1. Uma delas é a filtragem, consiste em analisar se os conteúdos consumidos no dia a dia são vantajosos ou se apenas fazem volume na enxurrada de notícias que o nosso cérebro recebe diariamente. O excesso de informação muitas vezes pode escoar nossa energia e causar ansiedade, enquanto ser completamente alheio às atualidades reduz nosso repertório e senso crítico. Logo, o ideal é encontrar um equilíbrio que priorize assuntos que agregam conhecimento à área desejada e possam se tornar conexões criativas.
  2. Já que "nada se cria, tudo se transforma", encher a bagagem mental de referências e inspirações é muito importante. Isso pode ser buscado de inúmeras formas, desde pesquisas na internet até treinar o olhar para encontrar ressignificações em elementos do dia a dia. É comum pensar que ser original é trazer ao mundo algo do zero, mas até as criações mais inovadoras passaram pelo processo de imaginar a reformulação de algum elemento já existente, seja na arte ou na tecnologia.
  3. Uma das principais práticas é permitir o erro. O bloqueio pode acontecer na expectativa de, por exemplo, escrever o parágrafo perfeito ao se deparar com uma folha em branco. Nem sempre a prática sai igual ao que é visualizado mentalmente e tá tudo bem. Ter iniciativa de tirar as ideias da cabeça e colocar a mão na massa é o primeiro e talvez mais importante passo. O processo criativo exige tempo e quantas tentativas forem necessárias, além disso, são as “falhas” que dão autenticidade aos objetos.
  4. Deixar que a mente tenha um descanso é fundamental. É nesse tempo off que todas as informações são digeridas e é possível se reenergizar para uma próxima. Nesse período, fazer atividades físicas pode ser benéfico já que corpo e mente trabalham emparelhados. Para mais, separar um tempo para atividades de lazer e autocuidado também são uma boa pedida. Por mais comum que isso possa ser, inserir essas práticas na rotina fazem grande diferença.

É importante, também, não temer o bloqueio criativo como se fosse um monstro de sete cabeças. A frustração pela improdutividade é mais um obstáculo para sair dessa situação. Mais vantajoso é ter autoconhecimento para entender o porquê dele estar acontecendo no momento e buscar as maneiras mais eficientes para voltar à ativa.


Denunciar publicação
12 Curtidas
4 Comentários
1
0 respostas

Indicados para você