[ editar artigo]

"Não existe trabalho ruim, senhora. O ruim é ter que trabalhar." Madruga, Seu

Numa primeira tentativa de post, compartilho um grande personagem do mais célebre - segundo eu mesmo e minha soberana opinião (hehe) - seriado da televisão mundial: Chaves. E embora seja muito cômica a frase do título do post, Seu Madruga também evoca uma enigmática questão: o trabalho. Desde Adão e Eva, é do suor do nosso rosto que comemos, ou seja, é através do nosso trabalho que iremos nos sustentar e viver.

O que me faz pensar que antes era tudo muito maravilhoso - Aaaah, Adão... rapaz, que vacilo comer daquele fruto!

Pois bem, já que não temos como fugir, já que os nossos seriados, o nosso fast food, nossas "brusinhas", nossa internet discada (rs) e todas as outras coisas do mundo que vivemos não se pagam sozinhas, temos sim que trabalhar.


E então, por que não procuramos olhar o copo meio cheio?
Ou brincar do jogo do Contente da Poliana? (Que por sinal já está na hora de acabar, misericórdia!
É matéria acumulada agora, que nunca acaba??).
Mas como podemos fazer isso?


Então, eu acredito que podemos procurar fazer o que, de fato, temos prazer, facilidade e habilidade. Usar o que temos de melhor - o nosso eu - aplicado a uma atividade que nos traga renda, além da satisfação profissional/pessoal.
Já que temos que trabalhar, por que não buscar dar o nosso melhor naquilo que somos bons?

Seu Madruga já foi leiteiro, barbeiro, carpinteiro, toureiro, lutador de boxe, vendedor de artigos para o lar (chapééééu ou roupas usadas...), dentre tantas outras coisas, bom, vamos experimentar e buscar sempre o melhor. Faz bem para todos.

Comunidade do Estágio
Ler conteúdo completo
Indicados para você