[ editar artigo]

#Musicalizando: Mc Fioti e a Vacina do Bum Bum Tam Tam

#Musicalizando: Mc Fioti e a Vacina do Bum Bum Tam Tam

Para a alegria de todos nós que estávamos ansiosos por esse momento, o ano de 2021 veio com tudo, e trouxe a tão esperada aprovação do uso das vacinas. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou no dia 17 de janeiro (um domingão de muita polêmica) por unanimidade, o uso emergencial das vacinas Coronavac e da Universidade de Oxford contra a Covid-19.

No #Musicalizando de hoje venho trazer para vocês algumas informações importantes sobre a nossa luz no fim do túnel, a vacina, e sobre o mago do funk, Mc Fioti, e qual a relação amorosa que eles criaram. Mas para começar, vou contextualizar toda a situação.

O que precisamos saber sobre a Coronavac:

Como funciona?

A vacina da Sinovac usa vírus inativados, ou seja, que foram expostos em laboratório a calor e produtos químicos para não serem capaz de se reproduzir. Por isso, eles não são capazes de nos deixar doentes, mas são eficazes o suficiente para gerar uma resposta imune do nosso corpo e criar no organismo uma memória de como nos proteger contra a ameaça. A aplicação da Coronavac ocorre em duas doses, sendo a segunda entre 14 e 28 dias após a aplicação da primeira.

Como é feita a produção pelo Butantan?

No início de dezembro, o instituto anunciou que a fabricação ocorre em turnos seguidos, sete dias por semana, para que a produção diária alcance a capacidade de 1 milhão de doses por dia. Portanto, a produção funciona sem parar para dar conta da demanda.

E sobre a eficácia da vacina?

Foi divulgado que a eficácia é de 50,4%, mas isso não significa que tem 50% de chance de dar errado, muito pelo contrário, ao tomar a vacina, você terá 50,4% de chance de não desenvolver Covid-19, 78% de chances de não precisar de atendimento médico, e 100% de chances de não precisar ser hospitalizado, ou ir para a UTI.

Usando o tão famoso exemplo do paraquedas: se o avião estiver caindo você não vai usar um paraquedas que tem 50% de chance só, você de paraquedas tem 50,4% de chance de aterrissar feito uma pluma, 78% de chance de aterrissar com um pequeno solavanco, mas sem complicações, e 100% de chance de chegar ao solo com vida.

O que o Instituto Butantan faz?

Em 1889, o país passava por um surto de peste bubônica, que se propagava a partir do porto de Santos (SP), levando a administração pública estadual a criar um laboratório de soro antipestoso para combater a peste. Esse laboratório foi instalado na Fazenda Butantan, na zona Oeste de São Paulo. O Instituto é o responsável por desenvolver estudos e pesquisas básicas na área de biologia e biomedicina, relacionados com a saúde pública, além de cuidar também da área de estudos sobre animais peçonhentos. Atualmente, é o principal produtor de imunobiológicos do Brasil, de soros e vacinas. Dentre várias vou citar para vocês as mais conhecidas: as vacinas contra meningite, BCG (tuberculose), influenza (gripe), antirrábica, febre amarela, entre tantas outras importantes.

Situados de todo esse rolê, e sabendo um pouco mais sobre um assunto tão complexo, vamos a melhor parte.

Quem é Mc Fioti?

O menino do Capão Redondo, bairro da periferia na Zona Sul de São Paulo, de 23 anos, compôs e produziu em seis horas o funk brasileiro mais ouvido do Youtube. Leandro Ferreira, o Mc Fioti, é filho de uma empregada doméstica que o criou sozinha. Cenário um tanto quanto comum de desigualdade dentre os meninos da periferia. Trabalhou em lanchonetes, foi servente de pedreiro, e pegou papelão na rua, até compor Bum Bum Tam Tam, o hit que mudou a sua vida.

Foi só com um celular e um computador que ele criou o funk. Aprendeu a mexer nos programas de edição de áudio, vendo tutoriais, baixou uma “flautinha” qualquer que encontrou na internet – sem nem saber que o compositor da melodia é o famoso alemão Sebastian Bach – foi mixando a batida do jeitinho que ele sabe, e pronto, tinha em mãos a chave de ignição para o sucesso. Hoje, sua mãe não trabalha mais como empregada doméstica, e Mc Fioti vive uma rotina agitada de compromissos.

O som fez tanto sucesso que Bum Bum Tam Tam ganhou até versões em outras três línguas (inglês, português e espanhol), com a participação de astros internacionais como J balvin, Future, Stefflon Don e Juan Magán. E essa influência foi tanta, que Fioti inovou o cenário do funk e da ciência de uma só vez.

O funk como incentivo à ciência

A música se tornou o hino da vacina, e trouxe Mc Fioti e sua equipe para uma atualização do clipe original. A proposta, que não deixa de ser uma comemoração pela corrida da vacina, é dar um up na música, e fazer a letra criar uma relação próxima com o momento atual. O clipe trouxe ao Butantan um dia um tanto quanto diferente, mas que marcou a carreira do artista, assim como a história da vacina brasileira. Em uma das entrevistas, Mc Fioti falou com seriedade sobre como esse casamento entre o funk e a ciência reflete na opinião de seu público, destacando como o funk vai fazer a molecada se conscientizar e tomar a vacina, principalmente pela importância dentro da periferia, de onde surgiu o ritmo no Brasil.

Como um forte movimento cultural, o funk alcança lugares e pessoas com uma estratégia simples, cativante e muito boa para dançar, o famoso hit chiclete, daqueles que grudam na memória da gente. E é exatamente por essas razões que pode ser mais um movimento parceiro na divulgação da importância do imunizante conta a Covid-19. Mc Fioti trouxe o estilo musical de uma forma inovadora tanto para o Instituto quanto para a área da Saúde, seja através de um meme, uma música ou na declaração do jovem artista, a Saúde agora conta com mais um parceiro na luta pela imunização e segurança dos cidadãos.

E para ficar ainda mais do nosso jeito brasileiro, nosso queridinho felizmente é um funkeiro, tem o cabelo meio pintado azul, e chegou prometendo resolver os problemas do país pedindo ajuda para o gênio da lâmpada.

Politicagens a parte, o que importa é que o país está a salvo, e Mc Fioti fez muito mais pela ciência do que outras certas pessoas por aí rsrs. Mais Brasil que isso? Impossível.

E para você que chegou até aqui me conta nos comentários qual foi sua reação para esse rolê todo.

Não esquece de dar uma passadinha lá pelo Youtube também para assistir ao novo clipe.

Um beijo e um queijo, e até a próxima <3

Comunidade do Estágio
Liliane Carvalho
Liliane Carvalho Seguir

Colunista Oficial Comunidade do Estágio - é graduanda em Jornalismo, apaixonada por esportes, e pela natureza, adora escrever, ver filme, série, e ler. "Minha mente é meu guia!"

Ler conteúdo completo
Indicados para você