[ editar artigo]

Mulheres extraordinárias

Mulheres extraordinárias

Você sabe quem foi Dandara? Ou Maria Firmina dos Reis? Ou Chiquinha Gonzaga? Ou Pagu? Realmente conhece Dona Ivone Lara? Ou Marta Vieira? Ou Djamila Ribeiro? Sabe o que elas têm em comum? Foram mulheres revolucionárias ainda em suas épocas e pior, muito pouco valorizada e, algumas esquecidas.

Dandara era uma guerreira, negra, capoeirista, rainha do Quilombo dos Palmares, que liderou seus companheiros para a liberdade ao lado de Zumbi.  Maria Firmina dos Reis era uma mulher negra, nordestina, que em 1859 (no auge da escravidão), publicou seu primeiro romance, Úrsula, que é considerado o PRIMEIRO livro escrito por uma mulher no Brasil.

Chiquinha Gonzaga foi a primeira compositora popular do Brasil, autora da marchinha “Ó abre alas”, e a primeira mulher a conduzir uma orquestra. Pagu foi escritora, militante, feminista, arriscou a própria vida defendendo o que acreditava e foi a primeira presa política do Brasil.

Você provavelmente quando leu Dona Ivone Lara, pensou: essa eu conheço. Conhece mesmo ou o que vem a cabeça é aquele samba: “Dona Ivone Lara uma joia rara. Jovelina Pérola”? Yvone da Silva Lara foi a primeira mulher a fazer parte de uma roda de samba, a assinar um samba-enredo e a pertencer a um grupo de compositores em uma escola de samba. Marta Vieira ganhou seis vezes o título de melhor jogadora de futebol feminino, além de ser a maior goleadora da seleção brasileira, superando até o Pelé.  Djamila Ribeiro feminista negra, escritora, filósofa e acadêmica brasileira. É um dos maiores nomes do ativismo negro da atualidade.

Três lições que eu aprendi com a história dessas mulheres:

  • Faça

A maioria das pessoas está debatendo para gravar o primeiro vídeo, escrever o primeiro texto, tirar a primeira foto ou abrir sua loja online. Vai lá e faça hoje.

  • Você não precisa ser uma Mulher Maravilha.

Você não precisar ter um doutorado na Europa ou falar 7 línguas, ou esperar as condições “perfeitas” para, aí sim, realizar o que deseja. Deixa eu te contar um segredo: As coisas não vão acontecer como o planejado. Você vai dividir tarefas, vai estudar trabalhar, ser mãe (talvez, tudo ao mesmo tempo) e vai conseguir.

  • Vai ser difícil.

Críticas vão acontecer. Pessoas vão falar mal. Você não vai agradar a todos. Momentos ruins são inevitáveis. Talvez você pense em desistir. Pare, pense e recomece.

Esses foram apenas alguns exemplos de mulheres que buscaram seus objetivos e lutaram pelo o que acreditavam apesar das inúmeras barreiras da sociedade patriarcal, racista e machista, em que vivemos. Empreendedoras, guerreiras, trabalhadoras, ativistas, mães de família, pioneiras. A lição que fica: O que você tem feito para ser extraordinária?

Estude, valorize e incentive outras mulheres. Seja independente. Faça a diferença mesmo que seja dentro da sua casa, pois é assim que a mudança começa. Porque não precisa está nos livros para ser extraordinária. A mãe solo é extraordinária. A dona do salão de beleza da esquina é extraordinária. A empregada doméstica é extraordinária. A CEO de uma multinacional é extraordinária. A cantora de funk é extraordinária. A primeira presidenta é extraordinária. A dona de casa, a médica, a advogada, a engenheira: TODAS SÃO EXTRAORDINÁRIAS.

 

Obs: O relato foi inspirado pelo livro: “Extraordinárias: Mulheres que revolucionaram o Brasil”.

 

Comunidade do Estágio
MaJu Deolindo
MaJu Deolindo Seguir

Olá, meu nome é Maria Julia, tenho 22 anos sou estudante de economia e uma leitora assídua.

Ler conteúdo completo
Indicados para você