Atividades
  • Notificações
  • Tags
  • Favoritos
Nenhuma notificação

Mulheres extraordinárias

Mulheres extraordinárias
MaJu Deolindo
ago. 21 - 3 min de leitura
9 Curtidas
3 Comentários
0

Você sabe quem foi Dandara? Ou Maria Firmina dos Reis? Ou Chiquinha Gonzaga? Ou Pagu? Realmente conhece Dona Ivone Lara? Ou Marta Vieira? Ou Djamila Ribeiro? Sabe o que elas têm em comum? Foram mulheres revolucionárias ainda em suas épocas e pior, muito pouco valorizada e, algumas esquecidas.

Dandara era uma guerreira, negra, capoeirista, rainha do Quilombo dos Palmares, que liderou seus companheiros para a liberdade ao lado de Zumbi.  Maria Firmina dos Reis era uma mulher negra, nordestina, que em 1859 (no auge da escravidão), publicou seu primeiro romance, Úrsula, que é considerado o PRIMEIRO livro escrito por uma mulher no Brasil.

Chiquinha Gonzaga foi a primeira compositora popular do Brasil, autora da marchinha “Ó abre alas”, e a primeira mulher a conduzir uma orquestra. Pagu foi escritora, militante, feminista, arriscou a própria vida defendendo o que acreditava e foi a primeira presa política do Brasil.

Você provavelmente quando leu Dona Ivone Lara, pensou: essa eu conheço. Conhece mesmo ou o que vem a cabeça é aquele samba: “Dona Ivone Lara uma joia rara. Jovelina Pérola”? Yvone da Silva Lara foi a primeira mulher a fazer parte de uma roda de samba, a assinar um samba-enredo e a pertencer a um grupo de compositores em uma escola de samba. Marta Vieira ganhou seis vezes o título de melhor jogadora de futebol feminino, além de ser a maior goleadora da seleção brasileira, superando até o Pelé.  Djamila Ribeiro feminista negra, escritora, filósofa e acadêmica brasileira. É um dos maiores nomes do ativismo negro da atualidade.

Três lições que eu aprendi com a história dessas mulheres:

  • Faça

A maioria das pessoas está debatendo para gravar o primeiro vídeo, escrever o primeiro texto, tirar a primeira foto ou abrir sua loja online. Vai lá e faça hoje.

  • Você não precisa ser uma Mulher Maravilha.

Você não precisar ter um doutorado na Europa ou falar 7 línguas, ou esperar as condições “perfeitas” para, aí sim, realizar o que deseja. Deixa eu te contar um segredo: As coisas não vão acontecer como o planejado. Você vai dividir tarefas, vai estudar trabalhar, ser mãe (talvez, tudo ao mesmo tempo) e vai conseguir.

  • Vai ser difícil.

Críticas vão acontecer. Pessoas vão falar mal. Você não vai agradar a todos. Momentos ruins são inevitáveis. Talvez você pense em desistir. Pare, pense e recomece.

Esses foram apenas alguns exemplos de mulheres que buscaram seus objetivos e lutaram pelo o que acreditavam apesar das inúmeras barreiras da sociedade patriarcal, racista e machista, em que vivemos. Empreendedoras, guerreiras, trabalhadoras, ativistas, mães de família, pioneiras. A lição que fica: O que você tem feito para ser extraordinária?

Estude, valorize e incentive outras mulheres. Seja independente. Faça a diferença mesmo que seja dentro da sua casa, pois é assim que a mudança começa. Porque não precisa está nos livros para ser extraordinária. A mãe solo é extraordinária. A dona do salão de beleza da esquina é extraordinária. A empregada doméstica é extraordinária. A CEO de uma multinacional é extraordinária. A cantora de funk é extraordinária. A primeira presidenta é extraordinária. A dona de casa, a médica, a advogada, a engenheira: TODAS SÃO EXTRAORDINÁRIAS.

 

Obs: O relato foi inspirado pelo livro: “Extraordinárias: Mulheres que revolucionaram o Brasil”.

 


Denunciar publicação
9 Curtidas
3 Comentários
0
0 respostas

Indicados para você