[ editar artigo]

Escuta Ativa: Como transformar seu ouvido em fonte de conhecimento

Escuta Ativa: Como transformar seu ouvido em fonte de conhecimento
Amanhã você vai conduzir a Mentoria de Storytelling com nosso cliente”

 

Lembro perfeitamente do frio na barriga que bateu quando o Lucas Gomes me disse isso há mais ou menos um ano atrás. Eu tinha menos de 2 meses na OndaSkim e esse era meu maior desafio:

Produzir conteúdo no lugar de uma outra pessoa, que não fosse eu. 

Semanalmente eu estive frente a frente via videoconferência com o cliente, um empreendedor serial 10 vezes mais experiente que eu e tudo que eu precisava fazer era conectar a sua expertise técnica com sua personalidade para criar um conteúdo para o Linkedin. Milhares de profissionais cascudos da rede dele iam ter acesso ao texto, não podia ser uma coisa rasa. Sentiu a responsa?

Bem, eu senti bastante. Mas eu acreditei que se fizesse as perguntas certas, conseguiria extrair dele o necessário para construir um conteúdo que fizesse ele pensar: “parece que fui eu que escrevi isso!”

A confiança nessa estratégia durou pouco. Logo após as duas primeiras Mentorias, eu sentia que faltava alguma coisa. Não nele, mas em mim.

Quer saber a real?

Não adianta fazer as perguntas certas e escutar com superficialidade

Essa foi a conclusão que cheguei. Eu me esforcei ao máximo para tirar da mente do cliente seu ponto de vista, mas deixava muita informação na mesa por que estava focado em conduzir sua fala, ao invés de escutar. Você provavelmente já esteve nessa situação (suspeito que isso é uma coisa que te acompanha diariamente)

Temos dois ouvidos e uma boca, escute mais do que fale. Esse passou a ser meu mantra

Se você nunca ouviu falar sobre Escuta Ativa, eu tenho o prazer de te apresentar minha análise que construí praticando no dia a dia.

 

Escuta Ativa: A habilidade valiosa para o “Novo Normal”

Antes de tudo, preciso te dizer uma coisa: Existe um gap enorme entre ouvir e escutar. Se você ainda não se ligou nisso, vou te dar um exemplo:

Pensa na sua música favorita. Pensou? É isso que acontece toda vez que ela toca no seu fone de ouvido:

  1. Você constrói uma história na sua cabeça

A música é um gatilho para você recriar memórias positivas ou negativas do passado, e também para inventar uma história que você quer que aconteça.

  1. Você fica vidrado na paisagem externa

Encostar a cabeça na janela do busão e olhar as pessoas andando na rua, quem nunca? As coisas ao seu redor parecem muito mais interessantes do que normalmente são.

Sabe o que tá por trás disso?

Você não tá presente no momento. Você tá preso no passado ou viajando no futuro. 

Essa é a grande diferença entre ouvir e a Escuta Ativa

Na Escuta Ativa, seu corpo e sua mente estão totalmente presentes no aqui e agora, trabalhando conscientemente para analisar tudo aquilo que você recebe, sendo capaz de conectar pontos que aparentemente não estão diretamente relacionados.

 

Repara bem nessa última frase aqui:

“Conectar pontos que aparentemente não estão diretamente relacionados."

 

Em um mundo cada vez mais submerso por informação descartável, aqueles que têm uma Escuta Ativa estão constantemente separando o joio do trigo, interpretando os fatos e usando a informação como peças de um quebra cabeça. Ou seja: não precisa se forçar a ser uma cópia do Steve Jobs para se tornar uma pessoa criativa. 

O primeiro passo para ser criativo é saber escutar de forma ativa.

Por que afinal, como diz Murilo Gun, Criatividade deveria se chamar Combinatividade - a arte de combinar ativos que uma vez juntos, formam uma nova proposta de valor.

Se você passa a maior parte do seu tempo ouvindo ao invés de estar escutando de forma ativa, como espera que possa surgir com algo inovador?

Então, se você quer se tornar relevante em um mundo recheado de informação, você pode começar trabalhando esses pontos a seguir:

 

1. “Já sei disso”: A guilhotina do conhecimento.

Essa frase mata o conhecimento. Se puder, tira isso do seu dicionário.

A real é que quando você já diz, mesmo que mentalmente, “já sei”, sua escuta se fecha - nada mais entra ali. Você deixa de escutar e passa a ouvir - provavelmente, enquanto a outra pessoa fala, você já está estruturando seu próximo argumento. E sabe o que é pior?

Você deixa de ter contato com o conhecimento apresentado por um ângulo novo, já que é muito provável que a outra pessoa consiga fazer alguma relação, análise ou metáfora que você nunca tinha pensado antes - e isso naturalmente pode abrir uma nova camada de consciência sobre o conhecimento que você já tinha.

 

A premissa principal da Escuta Ativa é entender o conhecimento como uma arte: quanto mais profundidade, quanto maior a capacidade de prestar atenção nas diferentes formas que a arte assume, melhor será o resultado. Esse é o caminho para a Maestria

 

Precisamos saber que não sabemos de tudo. Precisamos ter Humildade, com H maiúsculo, para escutar e aprender.

Falando nisso, tem mais uma coisa que eu não poderia deixar passar...

 

2. Encare a fala do outro com honestidade - é o mínimo que você pode fazer por si mesmo.

Mais importante do que se dispor a escutar de forma ativa, é a capacidade de ser sincero sobre o que chega até seus ouvidos. Isso tudo por um motivo: Driblar o Ego.

Esse mecanismo de defesa constrói uma crença que somos mais importantes do que qualquer coisa e tenta constantemente nos defender de acordo com o que chega até a gente. Todos de nós já estivemos nessas duas situações:

  1. Recebemos um feedback negativo e imediatamente construímos uma narrativa onde nos enquadramos como coitadinhos, tentando achar pontas soltas para jogar a culpa em outra pessoa;
  2. Recebemos uma chuva de elogios e então construímos uma narrativa onde exaltamos como somos diferenciados e conseguimos perceber nossa superioridade diante dos meros mortais.

Não to dizendo que não devemos comemorar quando recebemos elogios,nem procurar analisar se existe algum erro de terceiros em feedbacks negativos. Mas em ambas as situações, a reação é baseada na emoção do momento, o que pode distorcer sua capacidade de escutar ativamente o que acontece ao seu redor - o conhecimento passa batido.

Quando isso acontece, é como dirigir numa estrada com neblina - você não enxerga o que tem a frente, mas é guiado pelas lanternas do carro da frente (que podem ser duas motos lado a lado, já pensou nisso?).

A neblina é seu ego dificultando sua capacidade de gerar conhecimento sobre a fala do outro

Uma pessoa que desenvolveu uma Escuta Ativa reagiria assim nessas situações:

  1. Recebeu um feedback positivo, celebrou por um instante, voltou ao trabalho. Ela consegue entender quais foram os pontos chaves para alcançar o sucesso e sabe que  precisa continuar implementando aquilo de forma constante. Elas agem com memória curta.
  2. Recebeu um feedback negativo, encarou as duras palavras com sinceridade, ponderou todas as considerações e traçou um plano de ação para gerar oportunidades a partir da fala do outro. Elas agem por princípio, não por emoção.

 

Tudo que chega até nossos ouvidos é um presente da vida. Receba a fala do outro com consciência, buscando o conhecimento e não uma autodefesa.

O que falta para você desenvolver uma Escuta Ativa?

Quais pontos mais te impactaram?

Falei algo que não concorda? Me conta nos comentários.

____________________________________________________________________

Calma aí !!

Esse artigo foi escrito baseado no episódio 1 do meu Podcast, o Rota Alternativa.

Somos um Think Tank que discute habilidades comportamentais (como essa) e estratégias de marketing para jovens criarem projetos alinhados com que acreditam. Acompanhe o Rota e ouça os episódios na sua plataforma preferida:

Podcast Rota Alternativa ;)

Ah! e faça parte da Comunidade Rota Alternativa e receba conteúdos que estão em alta nas mídias alternativas e seja sempre avisado sobre os próximos episódios:

Quero fazer parte da Comunidade Rota Alternativa

____________________________________________________________________

 

Comunidade do Estágio
Ler conteúdo completo
Indicados para você