Atividades
  • Notificações
  • Tags
  • Favoritos
Nenhuma notificação

Você possui um mentor intelectual?

Você possui um mentor intelectual?
Lucas Costa Souza
set. 5 - 4 min de leitura
6 Curtidas
5 Comentários
1

Talvez você possua mentores mesmo sem saber. Saiba por que isto é importante e por que você precisa definir modelos de mentores intelectuais desde já.


Você sabe o que é um mentor?

Se você é um membro ativo aqui na Comunidade do Estágio, talvez te explicar isto seja chover no molhado. Peço licença para vocês veteranos, pois nem todos estão familiarizados com a ideia de mentoria. Eu mesmo, vim conhecê-la a pouquíssimo tempo.

 

A escolha de um mentor consiste em definir um determinado indivíduo e utilizar este indivíduo como modelo para determinadas atividades. É alguém com quem você pode aprender através da vivência pessoal e que, normalmente, você mantém um contato regular. Dito de outra forma, é o seu mestre jedi.

Mais do que um conselheiro

Um dos grandes trunfos de se possuir um mentor é a possibilidade de receber conselhos específicos para a sua vida. Porém, um mentor intelectual é muito mais do que um consiglieri. É alguém que te inspira. O seu mentor não precisa sequer ter a ciência de que é seu mentor. E vou mais além, o seu mentor não precisa sequer estar vivo.

Este é o ponto que eu queria chegar, meus caros. 

Nossa experiência é limitada pelo círculo que habitamos, visto que estamos sujeitos involuntariamente a diversas condições, como as pessoas que interagimos ou o espaço geográfico que estamos inseridos. Isto pode originar um certo atrofiamento intelectual que ofusca o seu horizonte de consciência, de maneira que até a sua criatividade é afetada.

Felizmente existem algumas formas para se libertar destes bloqueios. Uma das mais exploradas é a utilização da literatura de alto nível. Ora, quem se vê na pele de Ulisses em Odisseia, dificilmente estará limitado em algum aspecto.
 

O saber dos antigos

Carlos Nougué afirma que "quem lê, lê os melhores". Os melhores não são apenas autores. Quantas vezes você já não se viu utilizando expressões de mestres que admira? Eu mesmo já conto algumas dúzias neste artiguete. 

 

Estes são, antes de tudo, personalidades fortes que resistem a fúria do tempo. Não é a pena deles que os fazem grandes, mas sim, a personalidade. Indubitavelmente uma grande personalidade tende a ser honesta, ou ao menos tacanha o suficiente para passar-se por honesto. E esta honestidade, por sua vez, é refletida em sua escrita.

 

Santo Tomás de Aquino não era um bom redator e por isto virou doutor da Igreja, mas antes de tudo, uma personalidade forte e verdadeira, com uma busca honesta sobre a Verdade.

Permita que estas grandes personalidades o inspirem!

Defina desde já um mentor intelectual, e permita afogar-se à sua imagem. Seja ele um personagem real ou não, mas que seja um personagem virtuoso e que te engrandeça. Quanto mais virtuoso a figura escolhida, mais virtuoso tenderá a ser você também. 

 

Ainda que o seu mentor intelectual possua um nível que julga jamais alcançar, tenha sempre em mente o ideal, de tal modo que quando se ver acossado de algum problema específico, você se questione: como meu mentor X reagiria a esta situação? Como ele abordaria este problema?

 

A única forma de você chegar a estas respostas é conhecendo a fundo a personalidade que irá te influenciar. O ponto-chave deste exercício é justamente fixar a sua imaginação nos melhores exemplos que a humanidade já presenciou. 


Desta forma, você estará em diálogo constante com os maiores mestres que deixaram o seu legado pela história. Você aprenderá com os acertos e com os erros de gigantes.

 

Em suma, o que eu quero te dizer é...

Não se limite a contemporaneidade.

 

#ColunistaOficialAU


Denunciar publicação
6 Curtidas
5 Comentários
1
0 respostas

Indicados para você