Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
BACK

Crônica da vida profissional e acadêmica: Realidades a serem refletidas

Crônica da vida profissional e acadêmica: Realidades a serem refletidas
Weslley Reis
Jul. 8 - 3 min read
000


Fazer uma faculdade e seguir uma carreira é o sonho de muita gente, porém quando conseguimos chegar a tão sonhada faculdade nos deparamos com diversos desafios e barreiras que nos atinge como uma avalanche. Nem sempre todos conseguem vencer esses desafios.


Bom, eu faço Administração à distância (Ead). Estou no terceiro período, bolsista de uma universidade privada. Agora, depois de 1 ano e meio e ter tido uma experiência trágica na empresa onde estagiei, veio a dúvida: Será que sou feliz fazendo a faculdade que estou fazendo? Valeu a pena ter passado tantas experiências ruins durante a faculdade!?


Cheguei a essas reflexões depois de um longo período de insucesso, insatisfação e longas conversas com meus antigos supervisores. E eles me perguntavam: “Você é feliz com esse estágio? Você é feliz fazendo o que você faz?” Por mais que eu dissesse sim, no fundo, meu semblante e meu íntimo resplandecia um não. A falta de oportunidades na região do RJ para universitários da Administração e, principalmente para a comunidade LGBTQIAPNB+ são escassas, onde só pessoas da elite são contratadas.


Eu, desde de adolescente sonhava em fazer faculdade na área de tecnologia e cheguei a fazer uma antes dessa, mas os recursos financeiros não eram suficientes para terminar o que eu comecei. Então, depois dessas longas conversas e reflexões, eu comecei a entender que era hora de transicionar de Administração para alguma área de TI. E aí, veio a oportunidade. Passei como bolsista integral pro curso em outra instituição privada da região onde moro, mas em outra cidade.


E aí, surgiram vários outros impeditivos, pessoas se levantando contra, colocando empecilhos, a sonegação de transporte do próprio município de residência que não tem data para abrir vagas para “auxílio transporte universitário”, a falta de condições financeiras e de trabalho na região para bancar o custeio na faculdade, a enganação de um familiar que me tirou do caminho, e a minha tolice e ingenuidade de ter acreditado nos outros, a dúvida na escolha de outra paixão (o de lecionar) que veio à tona, o remorso de ter perdido a bolsa de estudos de Administração, entre outros.


Enfim… Nessa crônica, que mais parece para desabafo terapêutico de uma sessão de psicologia, podemos concluir que vida de universitário nunca foi fácil. Durante o nosso caminhar podem surgir diversos questionamentos como “eu sou feliz fazendo a faculdade a qual eu faço?”, “estou no caminho certo?”, “será que terá oportunidades na minha área?”, “Quanto vou ganhar?” O que devemos é não perder a fé. Esta reflexão é clara a nós universitários e estagiários, que acreditamos um dia, no ensino médio, quando nossos professores diziam “Estudem!”, “façam faculdade!", "Façam concurso público!” e "que seria espetacular a nossa experiência acadêmica", e é… mas não podemos deixar de compreender a realidade que muitos estudantes estão enfrentando por causa da nossa sociedade que excluem milhares. E precisamos sempre mantermos e ter a clareza e um norte de onde podemos seguir profissionalmente.




Report publication
    000

    Recomended for you