[ editar artigo]

Comunicação Não Violenta (CNV)

Comunicação Não Violenta (CNV)

 

  • O QUE É?

Originada e desenvolvida pelo psicólogo Marshall Rosenberg, a Comunicação Não-Violenta é a chave para um diálogo eficiente onde a mensagem é tanto bem transmitida, quanto bem recebida.

A CNV foi criada para pacificar um cenário de preconceitos entre brancos e negros em uma determinada escola. Na tentativa de conscientizarem seu diretor, alunos negros propuseram uma lista que informavam atitudes que NÃO deveriam ser tomadas, por exemplo “não se refira a nós como “essa gente”. Por sua vez, o diretor discordou em estar sendo preconceituoso e negou a mudar suas atitudes.

A partir da avaliação de Marshall, foi sugerido que os alunos fizessem propostas mais claras e autoexplicativas, como “se refira a nós como negros”, e ao alcançar a concordância do diretor, o psicólogo descobriu o quanto a CNV junto da LINGUAGEM POSITIVA é beneficente para a coerência no discurso e eficácia na resposta.

LINGUAGEM POSITIVA

Ela é um dos pilares que sustentam a CNV, pois trabalha a clareza no pedido. Por exemplo, pedir para que seu colega de trabalho NÃO SE ATRASE nas reuniões pode fazer com que quando ele perder a hora, ele decida que é melhor não ir, já que está atrasado. Nesse caso a melhor forma é informar o que DEVE ser feito, observe: gostaria que passasse a ativar um lembrete 30 minutos antes das reuniões, e comparecesse 10 minutos antes de iniciarmos.

  • POR QUE USAR?

A partir da introdução dessas técnicas em sua vida pessoal, a empatia é estimulada em seu interior, pois o que antes você via como ponto fraco, ao se juntar com a oportunidade de crescimento ofertado, você se trata com maior afeto sabendo o caminho a se seguir.
Já em seus relacionamentos interpessoais, a CNV atua transformando vocabulários ou tons de voz violentos em debates que visam soluções saudáveis. Assim, não há julgamentos ou opiniões pessoais, apenas esclarecimento de fatos, sentimentos, necessidades e impulso ao sucesso.


4 Passos para a CNV:

  1. Observação: Relate o fato, certo ou não, algo verídico.
  2. Sentimento: Esclareça o que esse fato te faz sentir.
  3. Necessidade: Apresente necessidade que não foi suprida para que você sinta esse sentimento.
  4. Pedido: Ofereça a solução de forma clara.

Exemplo: Louise, você constantemente exige resultados complexos em curtos prazos de entrega (1). Isso faz com que eu me sinta pressionada e insuficiente (2) , pois preciso de um maior tempo de dedicação para entregar os serviços com qualidade (3). Você poderia informar as demandas semanais às segundas? (4)

Dessa forma, seguindo esses passos será possível se comunicar de forma passiva e efetiva com as pessoas a sua volta e até consigo mesmo!

Inicial photo by Aaron Cass on Unsplash.

Comunidade do Estágio
Louise Barreto Vilela
Louise Barreto Vilela Seguir

Diretora de Marketing na LEVE Consultoria e Gestão de Projetos, enquanto curso Turismo na Universidade Federal Fluminense.

Ler conteúdo completo
Indicados para você