[ editar artigo]

Como potencializar o aprendizado de idiomas?

Como potencializar o aprendizado de idiomas?

 

Muitos acreditam que existe alguma fórmula mágica para a fluência em idiomas, mas a verdade é que não há. Afinal, cada pessoa têm seu próprio ritmo, habilidades e dificuldades, e o mesmo método nunca irá funcionar para todos. O que existem são dicas e ensinamentos que podem ser úteis.

Para introduzir as dicas, acho interessante explicar antes a diferença entre consumir e absorver conteúdo. Consumir conteúdo consiste na atividade de utilização de informação para um devido fim, como ler um livro, assistir uma série, ouvir um podcast. Automaticamente, ao aprender um novo idioma, você passará por esse processo. Isso é algo positivo, correto?

Nem sempre, e é aí que está a diferença. Enquanto consumir garante que você leu o livro, assistiu a série e ouviu o podcast, nada no garante que amanhã você se lembrará do que consumiu. Existem formas produtivas e improdutivas de se consumir conteúdo, e o ideal que aplicar os métodos produtivos façam com que você o absorva, de fato entendendo e recordando o conteúdo consumido.

Conceitos devidamente apresentados, aqui vão algumas dicas que eu absorvi de professores e poliglotas apaixonados por idiomas e busco aplicar na minha constante busca pelo aprendizado.

 


 

1. Tenha um objetivo claro em mente

Por que você quer aprender este idioma? Uma viagem, carreira, lazer? Seja qual for o objetivo, separe um tempo para especificá-lo. Eu sempre gostei muito de música, cinema, jogos, etc, e queria muito conseguir ter acesso à esse conteúdo em seu idioma original por ser mais rápido, prático e abrir um novo leque de opções para consumo. Entender essa minha necessidade ajudou a me manter motivada, e fez com que eu aprendesse mais rapidamente.

2. Foque em qualidade e consistência

O aprendizado não sobrevive a grandes intervalos de tempo. Tradicionalmente, estudamos idiomas uma vez na semana por muitas horas seguidas, enquanto um estudo imersivo de meia hora por dia gera muito mais resultado. Não é produtivo ficar um dia inteiro estudando e ter pouquíssimo contato com o idioma nos outros seis, porque nossa mente se cansa e após longas horas seguidas de nova informação, ela não consegue absorver mais tanta coisa.

3. Comece pela linguagem informal

Essa dica se baseia na ideia de que ao desenvolvermos a habilidade de falar observamos o que acontece no mundo real, e a probabilidade de ouvirmos conversas informais no mundo real é muito maior do que conversas formais. Aprender a parte mais acessível  faz com que você consegue acessar a maioria dos conteúdos no idioma mais rapidamente, e conforme a necessidade e seu próprio ritmo, você começa a se aventurar pela parte mais importante da língua.

4. Acompanhe seu progresso

Sempre que você aprende algo novo, é importante ter métodos de medir seu progresso. Uma forma de fazer isso é traçar pequenas metas diárias, semanais ou mensais. Assim que as cumprir, você verá mais facilmente o que alcançou. Outro método é consumir novamente o mesmo conteúdo no idioma depois de algum tempo. Se na primeira vez você entendia poucas palavras, depois de algumas semanas você provavelmente entenderá frases inteiras, e alguns meses depois a maioria do que assistiu, leu ou ouviu.

5. Exercite a memória

Existe um famoso método de memorização que consiste em 'cards' de aprendizado por repetição de palavras, e de fato pode ser útil. Eu gosto de adaptar um pouco esse método e expandí-lo para a memorização de frases. Contextualizar é importante porque quando você esquecer o que a palavra exata significa, saber outras palavras ao redor pode te ajudar a saber o contexto e assim decifrar seu significado. Tenha as frases escritas em algum app ou na parede de seu quarto, por exemplo, e sempre que tiver tempo livre e se lembrar, exercite.

6. Estude o que gosta

Um dos fatores da demora do ensino tradicional de idiomas é que você é obrigado a estudar situações com uma probabilidade mínima de acontecerem na vida real. não que não seja importante estar pronto para todas as situações, mas deve-se saber o que priorizar. Consumir  conteúdos que você gosta e imagina que usará no futuro é muito eficaz porque você terá um interesse genuíno pelo assunto, além de um contato frequente com o mesmo. Começando pelo que você gosta e sabe, vai ficar fácil decifrar o resto ao longo da jornada do aprendizado.

7. Não enrole para começar a falar

Quando eu iniciei o francês, me convenci que começaria a falar assim que me sentisse preparada, mas nunca acontecia. Afinal, como vou me sentir preparada se nunca pratiquei? A verdade é que não importa o quanto lemos, vemos, ouvimos, nós só aprenderemos a falar depois de treinar. Uma sugestão para iniciantes é aprender as 100 palavras mais comuns do idioma e depois partir para a conversação. Para os tímidos, se não tiver um parceiro de conversação, fale sozinho! No início vai parecer engraçado, mas só de formar frases na sua cabeça e exteriorizá-las você já estará treinando. Poupe tempo falando ainda no início.

 


 

Existem muitas outras dicas legais de aprendizado, mas se eu tentasse encaixar todas esse texto viraria um TCC. Espero ter ajudado algum aprendiz como eu, e para quem quer começar um novo idioma mas está com um pé atrás: Será uma longa jornada mas muito divertida também quando você ver que está progredindo. Você consegue!

 

Comunidade do Estágio
Letícia Melo da Silva
Letícia Melo da Silva Seguir

Estudante de Turismo e técnica em Petróleo e Gás. Sou apaixonada por finanças, viagens, eventos, idiomas e mais um milhão de coisas, estou constantemente procurando novos interesses e por isso a curiosidade é uma característica que me resume bem.

Ler conteúdo completo
Indicados para você