[ editar artigo]

Como o minimalismo pode te ajudar a lidar com as emoções

Como o minimalismo pode te ajudar a lidar com as emoções

Você provavelmente já deve ter ouvido falar sobre o conceito de Minimalismo que ultimamente tem sido bem difundido. Seja em programas de Tv, Influencers no Instagram e até em documentários na Netflix falando sobre isso. Mas se você ainda não ouviu falar ou ainda não entendeu muito bem do que se trata, eu vou te explicar de forma bem resumida. 

Ao contrário do que muitos pensam, o minimalismo não é tão somente se desfazer de tudo que tem e viver em uma casa vazia e com pouquíssimas peças de roupas apenas. Pode até existir pessoas que façam isso, mas não é a regra. O minimalismo é sobre ter menos sim, mas é ter menos daquele excesso de coisas que não te agregam valor nenhum. Quem aí não tem aquela gaveta cheia de objetos quebrados que nem usa mais e mesmo assim não joga fora ou já comprou algo só porque estava na promoção ou porque o seu amigo/a comprou também. Pois bem, são sobre essas questões que o minimalismo nos convida a refletir. Observando e avaliando tudo aquilo que nos rodeia gerando uma transformação de percepção sobre a vida e, assim, saindo dos automatismos do cotidiano tão comum nos dias de hoje. Os benefícios desse estilo de vida são muitos, vão desde individuais, como organização e menos tempo se preocupando com coisas e sim com experiências, a coletivos como a redução de impactos ecológicos no planeta.  

 

Bom, vimos então como o estilo de vida se aplica no mundo externo e material, agora será que é possível aplicar o minimalismo no nosso mundinho interno? Sim!!! É bem possível (você já deve até ter tido esse insight) afinal de contas quando mudamos externamente é comum mudarmos internamente também e vice e versa, não é mesmo? Pelo menos assim deveria ser... 

 

Sabe aquele peso de um erro do passado que você carrega e que te impede de tomar certas atitudes que vão te beneficiar de alguma forma e você se frustra por não conseguir realizar? Ou então aquela preocupação excessiva com o futuro que te sequestra do presente? Aquele excesso de pensamentos negativos? A necessidade de ser perfeito ou perfeita em tudo? 

São sobre esses comportamentos, e muitos outros, que aplicamos o minimalismo internamente, ou seja, é escolher abrir mão de emoções que nos afligem negativamente e que nos impede de seguir em frente no nosso desenvolvimento. E assim, poderemos ter mais força e leveza para conquistar nossos propósitos e nos superar a cada desafio proposto pela vida e não fugir deles, por consequências de amarras emocionais. É possível sim, acredito, viver como mais consciência e autocontrole. Basta haver esforço para mudança, como tudo na vida requer esforço, não seria diferente com nossos processos internos. 

Claro, existem casos e casos e nem sempre conseguiremos sozinhos e é quando devemos procurar ajuda de um profissional da psicologia ou psiquiatria. Minha intenção aqui é de apenas te trazer uma ideia que te fará perceber melhor seus processos emocionais. 

Então, o principal ponto para começar com o minimalismo emocional é começar a se observar sem julgamentos. E existem muitas técnicas que vão te ajudar a melhorar esse olhar para si, como a meditação ou/e escrever um diário no final do dia. Mas isso já é um assunto para um outro artigo. Além de se perceber é legal também elaborar como os acontecimentos externos afetam suas emoções, por exemplo: 

“Porque estou tendo medo de fazer tal tarefa?"

“Porque estou com raiva daquela pessoa, o que isso está gerando dentro de mim?” 

“Porque toda vez sinto isso quando acontece tal coisa” 

 

Com um tempo você vai começar a fazer essas elaborações sem necessidade de perguntas internas e aos pouquinhos começara a aumentar o seu tempo de resposta em relação aos acontecimentos externos, bem como também irá quebrar diversas crenças limitantes, adotará um olhar mais plural do mundo e vai filtrar melhor o que afeta suas emoções e mente. E aí já viu né? A melhora em todas as áreas da nossa vida é certeira. Trazendo isso paro o mundo do trabalho, por exemplo, vemos que é fundamental o cuidado das nossas emoções, pois quando minimamente temos o controle delas e não elas de nós, sabemos lidar melhor com frustrações, desafios e entre outras vivencias comuns na carreira profissional. 

 

Agora, vamos adotar o minimalismo nas emoções? Mas vamos com calma e carinho ta bom? Observe e transforme um aspecto de cada vez e leve o tempo que precisar para arrumar a “casa”! 


 

 

Comunidade do Estágio
Fabrício Barboza
Fabrício Barboza Seguir

Graduando em Letras pela UFRJ. Apaixonado pela vida e por interações sociais. Como todo bom geminiano, faço de tudo um pouco. Adoro escrever, ler e aprender sobre assuntos novos.

Ler conteúdo completo
Indicados para você