Atividades
  • Notificações
  • Tags
  • Favoritos
Nenhuma notificação

Censura em Hollywood? Como assim?

Censura em Hollywood? Como assim?
Marina Vale
nov. 17 - 5 min de leitura
1 Curtidas
1 Comentários
0

Assistindo a excelente minissérie Hollywood (essa obra de arte criada por Ryan Murphy e Ian Brennan), relembrei de um assunto que pode ser dado como surreal: a censura que ocorreu durante 30 anos em Hollywood.

O nome? Código de Hays.

Como uma boa virginiana, organizarei em tópicos para explicar melhor o assunto dessa postagem.

1- Por que essa censura?

Hollywood estava com a reputação manchada, era chamada de “cidade do pecado”. Diz Mello (2015, p.3) que “As produtoras precisavam urgentemente de retornos financeiros, assim apelava-se a temas que garantiam bilheterias: sexo e violência. Os filmes dessa época constantemente incluíam insinuações sexuais, miscigenação, profanação, uso ilegal de drogas, palavrões, prostituição, infidelidade, aborto, violência intensa e homossexualidade. Se não de forma explícitas, em maliciosas alusões, que cativam ainda mais o público.”

Por isso quiseram mudar, reabilitar a imagem de Hollywood.

2- Código de quem?

Os grandes estúdios de cinema resolveram que todas as produções deveriam passar por uma autocensura prévia. Em 1922 escolheram o pastor presbiteriano e à época diretor-geral dos Correios dos EUA, Will H. Hays, para comandar a presidência da Motion Picture Association of America (MPAA).

Daí, o nome: Código Hays.

Em 1924 os filmes já passavam por essa “peneira” e em 1930 o código foi oficializado.

O Código Hays incluía uma lista de “dont’s” (não) e “be careful” (tome cuidado).

Dirami, do site Obvious ressalta que: “Uma emenda ao código, aprovada em 1934, instituiu o Production Code Administration (PCA), exigindo que todos os filmes lançados em ou após primeiro de julho daquele ano devessem obter um certificado de aprovação antes de serem estreados.”

Os filmes tinham que passar por esse tipo de filtro. Tá achando um pouco doido até aqui? Então se segura na cadeira porque vai ficar mais ainda.

3- Lista de Dont’s e Be Careful

Essa lista é facilmente encontrada na queria Wikipédia, mas vou compartilhar aqui mesmo com vocês:

Lista de Dont’s (não)

1- Profanidade — uso de palavras como "Deus", "Senhor", "Jesus" ou "Cristo" (a não ser no contexto de cerimônias religiosas), "inferno", "droga" e outras palavras profanas e expressões vulgares de qualquer forma

2- Nudez — de facto ou insinuada

3- Tráfico de drogas

4- Insinuação de perversões sexuais

5- Escravidão de brancos

6-  Miscigenação — relações sexuais entre brancos e negros

7-  Higiene sexual e doenças venéreas

8-  Cenas de parto — de fato ou insinuada

9-  Órgãos sexuais de crianças

10-  Ridicularização do clero

11-   Ofensa deliberada a qualquer nação, raça ou credo

Lista de Be Careful (tome cuidado):

1-  Uso da bandeira

2-  Relações internacionais — evitar mostrar de maneira desfavorável a religião, a história, as instituições, os líderes de outro país

3-  Incêndio criminoso

4-  Uso de armas de fogo

5-  Roubo, assalto, arrombamento de cofres e explosão de trens, minas, prédios — tendo em mente o efeito que uma descrição muito detalhada destes crimes pode ter sobre os idiotas

6-  Brutalidade e o macabro

7-  Técnicas de assassinato por qualquer método

8-  Métodos de contrabando

9-  Métodos de tortura

10-  Enforcamento ou eletrocussão de criminosos como pena por seus crimes

11-  Simpatia por criminosos

12-  Desafio a pessoas e instituições públicas

13-  Sedição

14-  Crueldade com crianças e animais

15-  Marcar com ferro pessoas ou animais

16-  Venda de mulheres ou venda de sua virtude por uma mulher

17-  Estupro ou tentativa de estupro

18-  Consumação do casamento

19-  Homem e mulher juntos na cama

20-  Sedução deliberada de garotas

21-  A instituição do casamento

22-  Operações cirúrgicas

23-  Uso de drogas

24-  Policiamento e policiais

25-  Beijos excessivos, em particular quando um dos personagens é um criminoso

Sim, o absurdo é bem visível. Agora imagine que isso durou mais de 30 anos.

4- Ainda bem que decaiu, né?

O cinema começou um tipo de competição com a televisão. Os produtores queriam apresentar nas telonas algo que não fosse mostrado dentro das casas das pessoas. Fora isso, filmes estrangeiros ganhavam mais visibilidade e não “passavam” pelo Código Hays. Eles representavam ameaça à indústria do cinema hollywoodiano.

Com o tempo, algumas partes do Código foram alteradas. Filmes começaram a ser aprovados mesmo com alguns cortes. Outros não recebiam selo de aprovação, mas eram lançados mesmo assim.

Mais ou menos em 1966, a lista continha apenas 11 itens e eles tinham como base “bom gosto para a sociedade”. Ainda assim, diversas produções iam a público sem aprovação e faziam grande sucesso.

O ultrapassado Código Hays foi abandonado completamente em 1968. Que bom, não é?

Agora é sua vez! Qual item do Código Hays você achou mais absurdo? Você conhecia esse código?

“E para o caso de não nos vermos mais, bom dia, boa tarde e boa noite!”

 


Denunciar publicação
1 Curtidas
1 Comentários
0
0 respostas

Indicados para você