[ editar artigo]

Botando no mundo um podcast 🚀

Botando no mundo um podcast 🚀

Ok, se você leu a primeira parte sabe que chegamos naquele momento onde é preciso fazer acontecer, botar a cria pra correr nesse mundão de meu Deus. E foi assim que surgiram os convites, pensado de acordo com as temáticas planejadas. Na cara e na coragem eu chamei um montão de pessoas f*das quando se trata de literatura na região sudeste, e como diferencial, foram convidades, em sua maioria, poetas. Sim, essa classe artística fofa que reivindica apenas o seu coração <3 (Mentirinha, queremos cash também, okay?) E para o bem de todos e felicidade geral da nação, a maioria disse que fico! ops 😅 topo!

Fica a dica: Para que o convite fosse aceito por quase todes eu precisei ser transparente quanto ao orçamento do trabalho (ou seja, zerinho) e também escrevi de forma cuidadosa para cada convidade explicando a importância de tê-les no meu podcast. E nunca se esqueçam de pesquisar sobre a pessoa entrevistada, apesar de parecer óbvio, já fui convidada para muitas entrevistas em que mal sabiam o meu rolê na cena. Isso desmotiva o aceite, acreditem!

Usei a plataforma Zencastr para gravar as conversas, porque essa plataforma só precisa ter o navegador Chrome instalado no celular. É uma boa e grava tudo direitinho, não me deixou na mão. Os únicos problemas na hora de gravar foram os de sempre, aquele famoso: Ih, caiu minha internet! ou aquele outro: Tá me ouvindo?!!!

Em relação a hospedagem eu optei por uma brasileira, e que me serviu muito bem, viu? Vocês aí que reclamam que tudo que é Made In Brazil é ruim, pô. Ela se chama Megafono, e você pode usar tanto o plano gratuito quanto os planos pagos.

É para ovacionar de pé a minha editora de som que no fim das contas tirou uns ruídos brabos e deixou alguns episódios à nível de entrar nos grandes salões da podosfera. Um salve para Rebecca Nora!

O podcast Garganta! recebeu muitos elogios estando entre os podcasts mais ouvidos de 2020 em muitos perfis do Spotify. No geral foram mais de 500 ouvintes em torno desses 9 meses.

Foi o primeiro projeto que arquitetei sozinha, mas tive as mãos e os ouvidos de váries. Foi esse projeto, em meio a pandemia do covid-19, diante do caos e da tristeza de centenas de mortos, que me deu um rumo. Desempregada e sem faculdade na momento, eu optei por não esmorecer. E sinceramente, cada um tem a sua forma de aguentar firme os tempos sombrios. Mas desejo, você que me lê, que seja ao lado de quem te fortalece e te faz crescer.

E que venha a 2° temporada do podcast Garganta! no seu agregador preferido 😉

 

 

 

Comunidade do Estágio
Ler conteúdo completo
Indicados para você