Atividades
  • Notificações
  • Tags
  • Favoritos
Nenhuma notificação

Ame sua Zona de Conforto: Por que você não deve sair dela

Ame sua Zona de Conforto: Por que você não deve sair dela
Felipe Medeiros
jul. 6 - 6 min de leitura
2 Curtidas
2 Comentários
0

Melhor dizendo:

Por que você não deve sair de qualquer maneira da sua Zona de Conforto.

Olha, eu sei que acomodação não é algo que está nos planos de pessoas ambiciosas que estão correndo atrás de objetivos pessoais ou profissionais. Nem é minha intenção tentar te convencer que você pode se tornar mais produtivo optando por ficar na Zona de Conforto - eu não acredito nisso.

Mas se você está lendo esse artigo, é por que de alguma forma está interessado em saber se realmente existe algo positivo em estar na zona mais temida do mercado de trabalho. Eu senti essa curiosidade na pele também, e resolvi ir atrás da resposta.

Não é possível que 100% das pessoas falem mal de uma fase da vida que praticamente todos nós já estivemos.

Será que realmente não existe nada de positivo que possa ser aproveitado na Zona de Conforto?

 

Sim, existe. E por incrível que pareça,  é a parte mais ignorada. O motivo?

A interpretação tendenciosa da própria palavra.

 

Zona de Conforto ou Zona de Consciência?

Pensa comigo:

Você é o CEO da XYZ, uma grande empresa varejista. Em uma reunião tensa com o conselho de administração, te dizem o seguinte:

“Estamos tendo prejuízo atrás de prejuízo. Precisamos fazer alguma coisa!”

 

Existem duas possibilidades para resolver esse problema:

  1. Procurar fazer perguntas sobre a estrutura de custos da sua empresa, analisar com atenção se há espaços para cortes e otimização; Procurar entender a situação da receita, a relação entre o preço e volume de vendas e etc.

Ou...

  1. Bater na mesa da reunião e dizer “precisamos aumentar nossas vendas”.

Qual conduta você acredita ser a mais adequada? Com certeza a primeira, né?

A maioria das pessoas escolhe a segunda opção quando estão dentro da sua própria Zona de Conforto.

Buscam uma resposta automática e superficial sem antes analisar as variáveis não visíveis do problema. Como assim?

Se o objetivo ao sair da Zona de conforto é realizar uma mudança drástica no comportamento para atingir resultados diferentes, como você espera alcançar isso enxergando seu problema de forma superficial?

Enxergar o problema de forma superficial leva a uma mudança superficial

Pode ser que o problema da XYZ esteja centrado no alto custo de manutenção das máquinas que precisavam de reparos constantes. Nada a ver com aumentar as vendas.

Esse é o principal papel da Zona de Conforto: um momento de ouro onde você pode aproveitar para expandir sua consciência sobre si mesmo e descobrir características suas que eram pontos cegos e impactavam negativamente seu desempenho.

Expandir a consciência - essa é a parte positiva da Zona de Conforto que a maioria das pessoas deixa na mesa.Quando você busca entender o que gira em torno do seu problema de uma forma mais profunda, você está criando um método próprio para reconstruir sua realidade.

Pessoas enxergam a Zona de Conforto como algo que precisam evitar a qualquer custo, ao invés de encará-la como uma oficina para construir um método de resolução dos problemas pessoais.

Uma boa forma de começar a buscar a causa raiz dos seus problemas é se perguntar “Por que?. Essa palavra vai te guiar na sua jornada interna em busca do real motivo daquilo que te incomoda - e acomoda.Estar na Zona de Conforto significa viver o melhor momento da sua vida para você se questionar “por que?” infinitas vezes sobre seu problema.

É melhor aprender a pescar do que ganhar o peixe. Mas existe uma coisa que nunca te falaram...

 

Quando você sai de uma zona de conforto, automaticamente entra em outra.

Você se lembra quando aprendeu a dirigir? Cada movimento era feito de forma consciente - Você precisava pensar para soltar o pé do acelerador, pisar na embreagem e engatar a marcha de forma sincronizada.

Hoje você faz isso sem sequer pensar.

Isso acontece quando saímos da Zona de Conforto. Adotamos novos comportamentos que demandam nossa atenção na execução, mas com a rotina e a repetição exaustiva, o processo se torna automático. E como tudo que é automático, passamos a não perceber alguns pequenos detalhes que são importantes e impactam nossa vida.

A Zona de Conforto é como uma cebola - Você acessa novas camadas a partir do momento que vai descascando as atuais. Na vida, as camadas novas costumam ser mais complexas.

Você já não é mais o mesmo. O ambiente ao seu redor mudou. As pessoas também adotaram novos comportamentos.

O que fazer quando estiver diante de uma Zona de Conforto totalmente nova? Se desesperar?

Não.

Nessas situações, o tempo que você investiu buscando profundidade sobre seus problemas das Zonas anteriores, expandindo sua consciência, ganha relevância.

Você criou uma ferramenta que te ajuda a entender como reorganizar sua realidade em qualquer contexto.

O mesmo não é possível para aqueles que tentaram evitar a Zona de Conforto saindo de qualquer maneira, de uma forma superficial.

Promete uma coisa pra mim?

Nunca mais fale em Zona de Conforto. A partir de agora, é Zona de Consciência.

____________________________________________________________________

Calma aí !!

Esse artigo foi escrito baseado no episódio #3 do meu Podcast, o Rota Alternativa.

Somos um Think Tank que discute habilidades comportamentais (como essa) e estratégias de marketing para jovens criarem projetos alinhados com que acreditam. Acompanhe o Rota e ouça os episódios na sua plataforma preferida:

Podcast Rota Alternativa ;)

Ah! e faça parte da Comunidade Rota Alternativa e receba conteúdos que estão em alta nas mídias alternativas e seja sempre avisado sobre os próximos episódios:

Quero fazer parte da Comunidade Rota Alternativa

____________________________________________________________________


Denunciar publicação
2 Curtidas
2 Comentários
0
0 respostas

Indicados para você