[ editar artigo]

A Vontade de se Comparar

A Vontade de se Comparar

 

 

Desde pequenos somos comparados. Este padrão nos acompanha conforme o crescimento: na infância nossos familiares ouvem, muitas vezes por obrigação, os grandes feitos dos filhos daqueles que são próximos; na adolescência nossas notas são a nova métrica para o sucesso futuro; quando a maioridade chega o cenário já fica um pouco confuso, pois são muitos fatores atuando na mesma linha temporal. Pode surgir a faculdade dos seus sonhos e o desemprego constante, ou este nem ser uma possibilidade, mas o mesmo não poder ser dito do ensino superior, e ainda tem os jovens que não se identificam com o modelo acadêmico atual, e procuram outras fontes de conhecimento, e alcançam o sucesso.

 

Sucesso, mais do que um substantivo masculino, é um conceito amplo. Seu conteúdo vago permite múltiplas interpretações, alguns o utilizam com um fim mercadológico, outros para se libertar das expectativas geradas por terceiros. Cabe a cada indivíduo definir o seu conceito de êxito. Mas e quando não temos um referencial ou muitos deste? Será que a nossa produtividade é comprometida?

 

Na nossa intensa busca pela inserção profissional, principalmente ao iniciar uma carreira, a mente se torna o pior inimigo. Colocamos muitas expectativas no que produzimos e ao não estarmos à altura das nossas projeções, nos decepcionamos. Essa ação tem uma consequência drástica, a baixa auto estima profissional. Para evitar isso, segue algumas dicas:


 

Estude: Ao estudar cada vez mais o que intersecciona nossa carreira, criamos mais segurança ao entregar um resultado. O julgamento profissional alheio pode se basear na primeira impressão, que muito depende de uma atitude confiante ou a falta dela. Além disso, você estará munido de mais ferramentas caso seja questionado.


 

Seja Realista: É difícil não se frustrar ao produzir menos do que desejado. Em alguns casos, isso acontece por colocarmos expectativas muito altas em nossa produtividade sem considerar aspectos importantes, como: compromissos profissionais, rotina em casa, seu ritmo de criação, etc. Tudo isso pode ser ajustado, porém, nada é feito da noite para o dia. Condições que somente nós podemos alterar demandam tempo e esforço e, durante o processo para chegar ao almejado, a melhor atitude é ser realista quanto ao que pode ser feito na sua realidade, sem a cobrança e angústia daquilo que não podemos mudar no presente momento. “1% ao dia, todos os dias”.


Não tenha medo de errar: Acidentes acontecem até com os mais experientes, então por que não aconteceriam com os iniciantes? Você vai errar, isso é um fato. E quando isso acontecer, a maneira como você vai contornar a situação é o mais importante. Não tenha medo de oferecer uma solução quando o pior dos cenários se manifestar, mas também tenha o senso de reconhecer quando não vale a pena insistir em uma alternativa, e já focar em outra. Erros fazem parte e são maior fonte de aprendizado que os acertos.

Comunidade do Estágio
Ler conteúdo completo
Indicados para você